16:04 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Benjamin Netanyahu

    Israel acusa Irã de desenvolver armas nucleares apesar do acordo com potências globais

    © AP Photo / Cliff Owen
    Oriente Médio e África
    URL curta
    24516

    O serviço de inteligência israelense afirmou que coletou cerca de meia tonelada de material secreto, incluindo 55 mil páginas de documentos de texto, provando que o Irã possui um projeto nuclear militar, apelidado de 'Projeto Amad'. A declaração é do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu nesta segunda-feira (30).

    O discurso televisionado de Netanyahu vem no contexto de uma discussão internacional ativa sobre a necessidade de rever o acordo nuclear com o Irã.

    "O Irã mentiu sobre nunca ter um programa de armas nucleares, 100 mil arquivos secretos provaram que mentiram", disse Netanyahu.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, declarou nesta segunda-feira (30) que não descarta negociar novo acordo nuclear com o Irã. De acordo com o líder norte-americano, a saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã pode ser um sinal positivo para a Coreia do Norte. 

    O Teerã e o "sexteto" de mediadores internacionais (China, EUA, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha) assinaram, em julho de 2015, o Plano de Ação Conjunto Global, que estabelece restrições ao programa nuclear iraniano em troca do levantamento das sanções internacionais.

    O acordo proíbe que Irã acumule mais de 300 quilos de urânio enriquecido em 3,67 por cento por 15 anos e obriga a enviar o excedente desse material para outros países, em particular a Rússia.

    Mais:

    Trump diz que não descarta negociar novo acordo com Irã
    Netanyahu promete anúncio 'dramático' sobre Irã
    'Se acabou o tempo de nos atacar e de fugir', diz líder supremo do Irã
    Premiê israelense: ambições nucleares do Irã representam 'o maior perigo'
    Tags:
    armas nucleares, Plano Abrangente de Ação Conjunta, acordo nuclear, Benjamin Netanyahu, Irã, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik