17:36 20 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Livros didáticos para ensino de russo

    Irã quer acabar com 'monopólio do ensino de inglês' e introduzir o russo nas escolas

    © Sputnik / Oleg Viazmetinov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    790

    O Irã pretende substituir o inglês como segunda língua estrangeira no sistema educacional do país por outras línguas, incluindo russo, e iniciou negociações com o Ministério da Educação e Ciência da Rússia.

    A novidade foi anunciada pelo ministro da Educação do Irã, Seyyed Mohammad Bathaei, em uma reunião com Vyacheslav Nikonov, presidente do Comitê de Educação e Ciência da Duma, durante sua viagem de três dias a Moscou.

    "A política educacional do governo é acabar com o monopólio da língua inglesa como segunda língua estrangeira e introduzir outras línguas estrangeiras, em particular a russa", disse Bathaei.

    A Sputnik discutiu com o filólogo iraniano e chefe da faculdade de línguas estrangeiras da Universidade Azad em Teerã, Mohsen Shojaie sobre a rapidez com que a língua russa vai se enraizar no sistema educacional iraniano e quais as dificuldades que podem surgir ao longo do caminho.

    "Se você olhar em termos de morfologia, então o inglês é muito mais próximo da língua persa do que russo: tanto pela pronúncia, pela estrutura e pela sintaxe. A primeira dificuldade em dominar a língua russa, que os estudantes enfrentam, é a pronúncia correta de palavras e letras. Nesse sentido, a língua russa para os iranianos é muito mais complicada que a inglesa. Portanto, podemos dizer que, para a maioria dos iranianos, o russo é considerado uma das línguas mais difíceis de se estudar".

    Shojaie também observou que há outro aspecto importante aqui.

    "Tenho conversado repetidamente sobre isso com meus colegas da Rússia, inclusive, em uma das últimas reuniões da Fundação Cultural IA Goncharov. Estamos com a Rússia, primeiro de tudo, vizinhos, e isso é muito importante, como dizemos: você não escolhe seus vizinhos. Portanto, devemos tirar o melhor partido das nossas relações de boa vizinhança: a Rússia é uma das potências mundiais e desempenha um papel importante, por isso temos de aproveitar esta oportunidade de sermos vizinhos com um poder tão grande, a língua de nossos vizinhos — e não apenas no nível político e diplomático".

    No entanto, para realmente promover o russo como segunda língua no Irã e no farsi na Rússia, ele acredita que não deve se limitar apenas a esferas de política e diplomacia.

    "A cooperação deve se desenvolver nos setores científico, tecnológico e comercial. Isso significa que é necessário que as empresas e organizações russas comecem a trabalhar no Irã. E na Rússia, em diferentes regiões, as empresas iranianas devem trabalhar em paridade. Isso levará a um aumento na demanda por especialistas que falam essas duas línguas. Se tal trabalho não for feito, será difícil popularizar as línguas russa e persa em nossos países, o que significará que nos mercados de trabalho iranianos ou russos, a falta de demanda por especialistas levará à frustração entre as pessoas", disse ele à Sputnik. "No Irã, muito trabalho foi feito para ensinar russo nas universidades. Mas hoje o suprimento de especialistas com conhecimento do idioma russo excede a demanda do mercado. É necessário equalizar essa lacuna, e pensar na escala do país".

    Sobre se as crianças iranianas estão prontas para escolher o russo como língua estrangeira, Mohsen Shojaie acredita que o método de ensino de línguas estrangeiras no Irã ainda é ineficiente e desatualizado. Porém, é importante observar a cultura e a mentalidade local.

    "Hoje, das 1.000 famílias iranianas, apenas uma estará pronta para ensinar aos seus filhos russo em vez de inglês. É necessário superar a lacuna cultural entre o nosso povo que ainda existe. Talvez as famílias iranianas, depois de conhecer o povo russo, estarão prontos para enviar seus filhos para aulas de russo em vez de inglês. Até o momento, não há muitos estudantes iranianos que querem isso", concluiu Shojaie.

    Tags:
    Mohsen Shojaie, Universidade Azad Islâmica, Ministério da Educação do Irã, Comitê de Educação e Ciência da Duma, Fundação Cultural IA Goncharov, Seyyed Mohammad Bathaei, Vyacheslav Nikonov, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik