13:18 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Roger Waters se apresenta em um concerto em Assago, na Itália

    Capacetes Brancos tentaram pressionar Roger Waters, do Pink Floyd, revelam e-mails

    © AP Photo / Luca Bruno
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7230

    Foram revelados e-mails que mostram como o polêmico grupo ativista sírio Capacetes Brancos tentou influenciar o co-fundador do grupo inglês Pink Floyd, Roger Waters, com o dinheiro da Arábia Saudita. As revelações foram publicadas no projeto de Max Blumenthal.

    Em um email de outubro de 2016, Roger Waters foi convidado para um evento de arrecadação de fundos organizado pelo bilionário saudita Hani Farsi para homenagear o trabalho dos Capacetes Brancos. Nele, ele também é incentivado a assistir a um documentário sobre o grupo.

    E não parou por aí — poucos dias antes de seu recente concerto em Barcelona, Waters foi contatado por um jornalista francês que trabalhava para os Capacetes Brancos. O repórter perguntou a Waters por alguns momentos no palco para entregar uma mensagem às crianças da Síria.

    Rogers não respondeu a nenhum dos dois e-mails, segundo o jornalista Max Blumenthal, que obteve as mensagens. Em vez de dar o palco para os Capacetes Brancos durante seu concerto em Barcelona, Waters denunciou a organização.

    "Os Capacetes Brancos são uma organização falsa que existe apenas para criar propaganda para jihadistas e terroristas. Essa é minha crença. Temos crenças opostas", disse ele. "Se fôssemos ouvir a propaganda dos Capacetes Brancos e de outros, seríamos encorajados a encorajar nossos governos a começar a lançar bombas contra as pessoas na Síria. Isso seria um erro de proporções monumentais para nós como seres humanos", acrescentou.

    Blumenthal disse à RT que os Capacetes Brancos "estão operando no terreno ao lado da Al-Qaeda e seus aliados, e estes são apenas fatos documentados. Pela primeira vez, uma figura dominante em um palco internacional às vésperas da guerra validou o que temos relatado e o fez em Barcelona com aplausos da platéia que se opôs a uma guerra travada contra o direito internacional. aprovação dos parlamentos dos governos que lançaram a guerra".

    "E os capacetes brancos eram a única fonte na qual esses governos confiavam para justificar seus ataques. Este foi um discurso extremamente empolgante de Roger Waters que legitimou o jornalismo que nós fomos tão cruelmente atacados por publicar e forçou aqueles que nos atacaram e acusaram de ser conspiradores a realmente ver o que nós relatamos. E eles realmente não têm nada a dizer para nós, eles não podem simplesmente descartá-lo como uma conspiração do Kremlin, quando Roger Waters está dizendo isso", destacou o jornalista.

    Falando ao Projeto Zona Cinza de Blumenthal, Waters pediu às celebridades que já haviam endossado os Capacetes Brancos para reconsiderar seu apoio ao grupo. "Eu não os culpo por terem comprado a versão deles. Em face disso, parecia plausível que os Capacetes Brancos fossem apenas pessoas boas fazendo coisas boas. Mas agora sabemos que eles estão tentando encorajar o Ocidente a lançar bombas e mísseis ilegalmente na Síria", declarou.

    Waters disse a Blumenthal que ele havia concluído que a Campanha da Síria era "uma organização maligna financiada por pessoas que esperam ganhar com a saída do [presidente sírio] Bashar Assad — porque uma vez que ele tenha ido, será uma temporada aberta para o roubo dos ativos de um estado falido".

    Os Capacetes Brancos são o primeiro grupo a relatar o suposto ataque químico em Douma. Embora tenha sido amplamente elogiado no Ocidente por seu trabalho de resgate, seus membros foram repetidamente acusados de ter ligações com grupos extremistas.

    Blumenthal disse que os e-mails reivindicaram jornalistas como ele, que questionaram a imagem dos Capacetes Brancos como uma organização humanitária de "defesa civil".

    "Durante anos, jornalistas — inclusive eu — relataram o perigo dos Capacetes Brancos, como essa organização financiada pelo ocidente, financiada por governos ocidentais e do Golfo, tem sido basicamente um instrumento de incentivo à mudança de regime", disse Blumenthal. "Não é apenas um grupo de brigadistas voluntários médios, é uma organização de influência internacional cujos representantes aparecem no Congresso para fazer lobby por zonas de exclusão aérea e sanções à Síria, bem como parlamentos em toda a Europa".

    Mais:

    Aleppo oriental está submersa no terror total, 'não há oposição e capacetes brancos'
    Capacetes Brancos postam vídeo falso sobre seu trabalho na Síria e ganham Oscar por isso
    Pentágono não tem indicações de que Síria realizará ataque químico
    Tags:
    farsa, armas químicas, conflito sírio, crise síria, terrorismo, Campanha da Síria, Al-Qaeda, Capacetes Brancos, Bashar Assad, Max Blumenthal, Hani Farsi, Roger Waters, Douma, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik