08:04 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Membros da defesa civil síria, mais conhecidos como Capacetes Brancos em Damasco, foto de arquivo.

    Garoto filmado durante 'ataque químico' em Douma revela detalhes

    © AFP 2018 / Msallam Abdalbaset
    Oriente Médio e África
    URL curta
    36633

    O garoto sírio Hassan Diab, que aparece em um vídeo da ONG "Capacetes Brancos" como uma suposta "vítima" do ataque com armas químicas em Douma, revelou o que aconteceu na realidade.

    "Estávamos no porão. Minha mãe me disse que não temos nada para comer hoje. Comeríamos só amanhã. Então ouvimos gritos na rua - todos deveríam ir até o hospital. Corremos para o hospital e, assim que chegamos, fui agarrado e começaram a jogar água em cima de mim. Depois nós colocaram na maca, junto à outras pessoas", contou o garoto em entrevista para a emissora Rossiya 24.

    O correspondente de guerra da emissora, Yevgeny Poddubny, destacou que o garoto foi obrigado a participar do vídeo.

    "O garoto não tinha o que comer. Ofereceram arroz, tâmaras e biscoitos para ele participar da filmagem", disse ele. 

    As palavras de Hassan foram confirmadas pelo seu pai, que confirmou o fato de não ter tido nenhum tipo de ataque químico na cidade.

    "Quando soube que a criança está no hospital, pedi licença no trabalho e corri para lá. Não havia arma química alguma. Eu fumei na rua e não senti nada. Cheguei no hospital e vi a minha família. Os combatentes deram tâmaras, biscoitos e arroz pela filmagem e liberaram todos. O meu filho estava se sentindo muito bem", revelou o pai do garoto.

    Привет. Это Хасан Диаб. Ему 11 лет и он снимался в ролике Белых касок за еду (финики, рис, печенье) 7 апреля в Думе. Хасан жив и здоров и передает привет всем, кто так сильно переживает за пострадавших в Думе от отравления, и одобряет удары по Сирии. ************************************************************In return for playing a victim in #WhiteHelmets propaganda video 11 year old #HassanDiab got some badly needed food a few dates, rice, and a cookie He is alive and well and sends his greetings to everyone#whitehelmets #douma #syria #chemicalattack

    Uma publicação compartilhada por Евгений Поддубный (@evgeny.poddubny) em 18 de Abr, 2018 às 8:16 PDT

    Posição do Ocidente

    No início de abril, o Ocidente acusou Damasco de realizar ataque químico contra a cidade de Douma, na Ghouta Oriental, e ameaçou retaliar. Moscou negou a informação sobre uma bomba de cloro, supostamente atirada por militares sírios. A chancelaria russa declarou que a desinformação sobre ataques químicos na Síria busca proteger os terrositas e justificar atuação militar de terceiros no país árabe. 

    Na madrugada de 14 de abril, EUA, Grã-Bretanha e França realizaram um ataque de mísseis conjunto contra instalações do governo sírio que, segundo o Ocidente, eram usadas na fabricação de armas químicas. Mais de 100 mísseis foram disparados, 71 dos quais foram abatidos por defesa antiaérea síria. As forças russas não foram mobilizadas, mas acompanharam o ataque. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou o ataque como agressão contra um país soberano.

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik