16:23 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa em Ohio, em 29 de março de 2018

    Trump ordenou ataques aéreos contra Síria

    © AP Photo / Pablo Martinez Monsivais
    Oriente Médio e África
    URL curta
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)
    813456

    O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou neste sexta-feira que deu ordens para ataques aéreos de precisão na Síria.

    "Uma operação combinada com as forças armadas da França e do Reino Unido está em andamento", disse o presidente Trump em rede nacional na noite desta sexta-feira.

    "Estamos preparados para sustentar essa resposta" até Assad interromper o uso de armas químicas, disse Trump, mas "a América não busca presença indefinida na Síria, sob nenhuma circunstância".

    "O destino da região está nas mãos de seu próprio povo", disse o presidente norte-americano.

    Segundo ele, os ataques são um "resultado direto" da incapacidade da Rússia de impedir Assad de usar armas químicas, que ele comparou a "crimes de um monstro".

    "O presidente Trump aprovou ataques militares dos EUA na Síria", disse o repórter do Pentágono, Lucas Tomlinson, citando um funcionário do governo.

    EUA, Reino Unido e França prometeram esta semana uma "resposta internacional" contra o presidente sírio, Bashar Assad, pelo suposto uso de armas químicas em Douma.

    As defesas aéreas sírias foram ativadas e "explosões" foram ouvidas em Damasco.

    Tema:
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)

    Mais:

    Analista: Trump gosta de blefar e Washington não está em posição de atacar Síria
    Mais um silêncio comprado: Trump teria filho fora do casamento?
    Declarações de Trump 'mudam como previsão do tempo', diz analista
    Comey: Trump pediu investigação sobre suposta gravação em que pratica chuva dourada
    Trump e May concordam com a necessidade de impedir futuros 'ataques químicos'
    Tags:
    ataques, mísseis, Donald Trump, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik