01:46 22 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Capacetes azuis da ONU em missão de paz no Congo

    General brasileiro vai comandar missão de paz da ONU no Congo

    © REUTERS / Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    501

    O secretário-geral da ONU, António Guterres, nomeou nesta sexta-feira (13) o general brasileiro Elias Rodrigues Martins Filho como novo comandante da Missão de Paz das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monusco).

    Ele vai assumir o posto antes ocupado pelo general Derrick Mbuyiselo Mgwebi, da África do Sul, que encerrou sua missão em 31 de janeiro passado. A informação é da ONU News.

    O general Martins, que atualmente ocupa a chefia do Escritório das Organizações Internacionais do Ministério da Defesa, tem mais de 35 anos de experiência nas Forças Armadas brasileiras e já serviu nas Nações Unidas em Nova Iorque.

    O general brasileiro, nascido em Fortaleza, ocupou entre outros cargos, o de chefe de inteligência do Ministério da Defesa do Brasil e de Oficial de Comando do Batalhão da Guarda Presidencial, de 2009 a 2011.

    Elias Rodrigues Martins Filho também foi o encarregado de planejamento do Departamento das Operações de Paz entre 2005 e 2008, e vice conselheiro militar da Missão Permanente do Brasil, em Nova Iorque. Na década de 1990, ele serviu na Missão III da ONU de Verificação em Angola.

    Martins Filho é pós-graduado em Relações Internacionais e formado pela Escola Superior de Guerra. Ele será o segundo comandante brasileiro da Monusco. O primeiro foi o general Carlos Alberto dos Santos Cruz.

    Mais:

    Secretário-geral da ONU: 'Guerra Fria está de volta'
    Rússia e EUA devem parar de usa o 'veto' um contra o outro na ONU, diz líder britânico
    Enviado russo na ONU: radicais têm ordens de iniciar ofensiva na Síria após EUA atacarem
    Secretário-geral da ONU: Guerra Fria está sendo retomada
    Prioridade imediata na Síria é 'evitar uma guerra', diz embaixador russo à ONU
    Tags:
    ONU, República Democrática do Congo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik