19:43 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Soldados israelenses (foto de arquivo)

    Netanyahu chama exército israelense do 'mais moral do mundo' e nega acusações da Turquia

    © REUTERS / Mohamad Torokman
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12212

    O premiê israelense negou as acusações apresentadas pela Turquia sobre o uso desproporcional de força contra manifestantes palestinos.

    A Turquia criticou as ações dos militares israelenses que na sexta-feira (30) abriram fogo contra participantes das desordens na fronteira com a Faixa de Gaza, matando a tiros 15 pessoas e ferindo mais de 1.000 pessoas.

    "O exército mais moral do mundo não precisa de lições de alguém que durante anos bombardeia indiscriminadamente a população civil", disse Netanyahu de acordo com declaração divulgada pelo serviço de imprensa do premiê.

    Em 31 março, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan chamou de "desumanos" os ataques do exército israelense contra os manifestantes que participavam da Grande Marcha do Retorno.

    Os militares israelenses reconhecem o uso de armas contra os participantes mais agressivos, explicando suas ações pela necessidade de defender as fronteiras. O exército israelense calculou que da ação participaram cerca de 30.000 palestinos, que levaram a cabo provocações. Os militares apontam que todos os palestinos mortos eram homens e tinham 18-30 anos de idade, e que pelo menos dez deles eram membros de vários grupos radicais palestinos.

    Mais:

    Dos 15 mortos por Israel em Gaza, 5 eram da ala militar do Hamas
    Israel teme 'erupção' militar na Faixa de Gaza
    Conflito Israel-Palestina virar guerra religiosa seria a maior catástrofe na região
    Tags:
    exército, confrontos, Benjamin Netanyahu, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik