05:42 24 Abril 2018
Ouvir Rádio
    As consequências do ataque de mísseis à Base Shayrat

    Especialista: ações dos EUA na Síria são uma agressão armada

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10290

    Os militares norte-americanos não têm direito de estar no território sírio, suas ações apenas podem ser consideradas como uma agressão militar, disse à Sputnik o especialista militar Igor Korotchenko.

    Anteriormente, o porta-voz da coalizão liderada pelos EUA que luta contra o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia), o coronel Ryan Dillon, declarou que a missão da coalizão é a luta contra o terrorismo e não provocação, e que todos os seus confrontos com os militares sírios foram efetuados em autodefesa. Além disso, Dillon declarou que o Ministério da Defesa russo frequentemente "faz acusações falsas".

    Entretanto, para Korotchenko, as tropas ocidentais não têm o direito de permanecer no território sírio.

    "O fato de os militares estrangeiros, incluindo norte-americanos, estarem no território sírio e de a coalizão realizar ataques contra o exército sírio e a milícia pró-governamental, do ponto de vista das normas do direito internacional representa uma agressão armada", disse o especialista, acrescentando que não há base legal para a presença das forças especiais norte-americanas e outros militares no território da Síria.

    O analista chamou as declarações de Dillon de “nada mais que uma tentativa de ele próprio criticar o Ministério da Defesa russo”. 

    A coalizão responde deste modo às acusações confirmadas “apresentadas pelo Ministério da Defesa da Rússia sobre as ações destrutivas dos EUA e da coalizão internacional liderada por eles na Síria, estando ali ilegalmente e violando a soberania da Síria e a Carta das Nações Unidas”.

    As autoridades sírias insistem que a presença militar dos EUA na Síria é ilegal porque não foi aprovada pelo governo do país. A Rússia, por sua vez, realiza a sua campanha aérea contra as posições do Daesh na Síria em resposta a um pedido oficial de Damasco.

    Mais:

    Bombardeio da coalizão liderada pelos EUA deixa 29 mortos na Síria
    Ataque da coalizão árabe deixa vários mortos e feridos no Iêmen
    Tags:
    conflito armado, ataques, Daesh, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik