18:19 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Prédios destruídos na zona cercada de Douma, Ghouta Oriental

    Rússia espera que Ocidente ponha fim ao flerte com terroristas na Síria

    © REUTERS / Bassam Khabieh
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8131

    Moscou espera que os parceiros ocidentais ponham fim ao flerte com os terroristas na Síria e adiram às iniciativas de paz da Rússia, declarou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu.

    Além disso, o ministro declarou que, na semana passada, foram prevenidas três tentativas de utilização de armas químicas pelos terroristas. 

    "Continua existindo  a possibilidade de uso das substâncias tóxicas pelos terroristas para depois acusar os militares sírios de utilização de armas químicas. Três tentativas desse tipo foram prevenidas na semana passada", revelou Shoigu.

    Ele sublinhou que o Ministério da Defesa da Rússia continua trabalhando para a estabilização da situação na Síria, nos últimos cinco dias cerca de 80.000 pessoas saíram de Ghouta Oriental pelos corredores humanitários, 65% do território da zona foram libertados.

    "Apesar das persistentes tentativas dos terroristas de minar as iniciativas de paz em Ghouta Oriental, estamos negociando com os líderes dos grupos armadas para pôr cobro à guerra e prevenir uma catástrofe humanitária", afirmou Shoigu.

    De acordo com o ministro, desde o início da operação militar russa na Síria, mais de 1,3 milhão de refugiados regressaram aos territórios libertados dos terroristas.

    "Continuamos observando as ações dos EUA e da coalizão. Assinalamos a atividade das suas forças armadas ao redor da Síria", disse ele.

    "Esperamos que, à luz desta situação, os nossos parceiros ocidentais tomem decisões com bom senso, ponham fim ao flerte com os terroristas e adiram às iniciativas de paz russas na Síria", afirmou o ministro.

    Segundo ele, a Rússia continuará fazendo todo o possível para normalizar a situação na região.

    "Apelamos às partes interessadas no sentido do diálogo construtivo e de ações conjuntas para pôr fim à violência", concluiu ele.

    Ghouta Oriental foi ocupada pelos militantes em 2012. De acordo com estatísticas do exército sírio, na área estão entre 10 e 12 mil militantes. Apesar da recente resolução da ONU, apelando a todas as partes do conflito para aderirem à pausa humanitária, os combates não terminaram, segundo o Centro Russo de Reconciliação na Síria.

    No fim de fevereiro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a Resolução 2401, que exige que todas as partes parem os confrontos e garantam uma pausa humanitária ao longo de 30 dias em toda a Síria, para a realização de operações humanitárias.

    A Rússia anunciou, por ordem do presidente russo Vladimir Putin, uma pausa humanitária diária de cinco horas a partir de 27 de fevereiro em Ghouta Oriental e a criação de um corredor humanitário para que os civis possam abandonar a zona.

    Mais:

    Defesa da Rússia: 'Militantes de Ghouta Oriental provocam exército sírio por retaliação'
    Militantes de Ghouta Oriental ignoram regime de cessar-fogo e prosseguem bombardeios
    Tags:
    terrorismo, Ghouta Oriental, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik