17:28 16 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Presidente turco Recep Tayyip Erdogan fala durante a reunião com investidores internacionais no Palácio presidencial em Ancara, Turquia, 2 de agosto de 2016

    Após Afrin, Erdogan considera atacar o Iraque

    © AFP 2018 / KAYHAN OZER / Serviço público do presidente turco
    Oriente Médio e África
    URL curta
    868

    As forças turcas podem entrar no norte da cidade iraquiana de Sinjar e lançar uma operação militar contra militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que está listada como uma organização terrorista na Turquia, disse o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, nesta segunda-feira (19).

    "Nós dissemos ao governo iraquiano que eles [PKK] estavam tentando formar outro Qandil em Sinjar. Se isso não se resolver, podemos entrar em Sinjar uma noite e limpá-los de lá", disse Erdogan, conforme citação divulgada pelo jornal Hurriyet, referindo-se à sede do PKK no norte do Iraque.

    A base principal do PKK está localizada nas Montanhas Qandil, uma área montanhosa iraquiana perto da fronteira iraniana. Sinjar também seria um local de hospedagem de acampamentos de militantes do PKK.

    Em 20 de janeiro, as Forças Armadas turcas lançaram a operação "Ramo de Oliveira", contra as forças curdas na região setentrional de Afrin, na Síria. A operação pretende atingir as forças do YPG, que Ancara considera um grupo terrorista e uma extensão PKK.

    Também em janeiro, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, disse que Ancara não limitaria sua operação militar a Afrin e está pronta para lutar no Iraque, se necessário, em seu esforço para destruir o terrorismo.

     

    Tags:
    terrorismo, Guerra da Síria, YPG, Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Mevlut Cavusoglu, Recep Tayyip Erdogan, Ancara, Iraque, Síria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik