03:57 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Memorial do Genocídio Armênio em Erevan, capital da Armênia

    Parlamento de Israel veta projeto de lei reconhecendo genocídio armênio

    PAN Photo
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9210

    O Knesset, parlamento de Israel, votou contra um projeto de lei nesta quarta-feira que pretendia reconhecer o genocídio dos armênios por parte do Império Otomano no início do século XX.

    Marcha em homenagem às vítimas do genocídio armênio de 1915 em Erevan
    © Sputnik / Tigran Megrabyan/PanARMENIAN Photo
    De acordo com o Jerusalem Post, a medida em questão teria sido proposta pelo partido Yesh Atid, segundo o qual Tel Aviv teria a obrigação de reconhecer tal genocídio porque os judeus, por sua vez, sofreram uma calamidade semelhante, o holocausto nazista durante a Segunda Guerra Mundial. 

    Segundo diferentes estimativas, mais de 1 milhão de armênios foram mortos pelo Império Otomano durante e depois da Primeira Guerra Mundial. Há décadas, a Armênia luta para que essa atrocidade seja reconhecida pela comunidade internacional, mas muitos países ainda se recusam. 

    Para a Turquia, herdeira dos otomanos, o que houve nesse período não pode ser descrito como um genocídio armênio, uma vez que cidadãos turcos também teriam sido mortos nessas chacinas. 

    Mais:

    Analista: EUA estão envolvidos diretamente no genocídio do povo sírio
    O papel da França no genocídio em Ruanda
    Opinião: está acontecendo um verdadeiro genocídio de indígenas no Brasil
    Tags:
    genocídio, Segunda Guerra Mundial, Primeira Guerra Mundial, Jerusalem Post, Império Otomano, Tel Aviv, Armênia, Turquia, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik