14:47 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Mashal Khan

    Paquistaneses são condenados após espancar estudante por falsa acusação de blasfêmia

    © AP Photo/ AP Photo/Fareed Khan, File
    Oriente Médio e África
    URL curta
    113

    Um tribunal paquistanês condenou um homem a morte e outras 30 outras pessoas a prisão envolvidas no assassinato de um estudante universitário injustamente acusado de blasfêmia no ano passado.

    O tribunal antiterrorismo em Haripur também anunciou quarta-feira que 26 suspeitos foram absolvidos e outros três suspeitos ainda não foram localizados. As penas variam de quatro a 25 anos.

    Em abril de 2017, uma multidão, composta principalmente por estudantes, linchou o estudante de jornalismo da Universidade Abdul Wali Khan, Mashal Khan na cidade do norte de Mardan, a oeste da capital Islamabad.

    Khan foi despido e cruelmente espancado por colegas para falsas alegações de que ele compartilhava blasfemia online. Uma investigação policial revelou mais tarde que Khan na verdade foi vítima de uma emboscada: ele era ativo manifestante contra o aumento de taxas escolares pelo que ele acreditava ser nepotismo na organização da universidade que frequentava. Em junho, uma investigação policial sobre as alegações de blasfêmia revelou que Khan era inocente. O estudante não resistiu à brutalidade do ataque e morreu.

    O linchamento foi capturado em vídeo e publicado nas mídias sociais, resultando em uma condenação generalizada no Paquistão e em todo o mundo em relação às leis de blasfêmia do país. De acordo com o Código Penal local, insultar o Islã ou o profeta Muhammad podem levar à pena de morte.

    A Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos informou que atualmente,  cerca de 40 pessoas no Paquistão enfrentam penas perpétuas ou aguardam pela execução devido a acusações de blasfêmia. Pelo menos 74 pessoas no Paquistão foram mortas pelo crime desde 1990, informou o canal de TV Al-Jazeera.

    Tags:
    linchamento, blasfêmia, muçulmanos, islã, pena de morte, Código Penal paquistanês, Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos, Universidade Abdul Wali Khan, Al-Jazeera, Mashal Khan, Haripur, Islamabad, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik