16:29 19 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

    Acordo nuclear do Irã permite que Teerã fabrique 'centenas de bombas', diz Netanyahu

    © AP Photo/ Gali Tibbon
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16013

    O atual programa nuclear do Irã permitirá que Teerã continue a enriquecer urânio, e isso será o suficiente para a produção de "centenas de bombas" pelos próximos 10 anos, disse o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, nesta quinta-feira.

    "O presente acordo é tão profundamente flutuante que garante que o Irã terá o que é necessário para fabricar armas nucleares, incluindo o enriquecimento de material nuclear. Isso é o que é problemático do acordo. Apenas lhes dá uma linha de tempo […] sob a qual eles poderão enriquecer o urânio por uma centena de duzentas bombas [em] talvez em oito ou dez anos", disse Netanyahu à margem do Fórum Econômico Mundial (WEF) em Davos (Suíça).

    No início de janeiro, Netanyahu convidou os países europeus para propor alterações ao acordo nuclear iraniano e levar a sério o aviso do presidente dos EUA, Donald Trump, de se retirar do acordo em caso de falha em corrigi-lo.

    Em 12 de janeiro, o governo de Trump anunciou que renunciaria à sanções contra o Irã, como era exigido pelo Plano Conjunto de Ação (JCPOA), também conhecido como o acordo nuclear do Irã.

    No entanto, o líder dos EUA disse que seria a última vez que ele assina a renúncia a menos que o acordo seja modificado. Trump também anunciou sua intenção de endurecer as sanções anti-iranianas sobre os testes de mísseis balísticos de Teerã.

    O primeiro-ministro israelense, um oponente vocal de longa data do acordo nuclear e do governo iraniano, elogiou repetidamente os esforços de Trump para desafiar o JCPOA. Netanyahu acredita que o acordo nuclear com o Irã oferece oportunidades para que Teerã adquira armas nucleares.

    Em julho de 2015, a União Europeia, o Irã e o grupo de países P5 + 1 — Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido, mais a Alemanha — assinaram o JCPOA. O acordo estipula um levantamento gradual das sanções impostas ao Irã em troca de Teerã manter a natureza pacífica do seu programa nuclear.

    A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) confirmou a conformidade de Teerã com o acordo em nove relatórios.

    Mais:

    Netanyahu chama refugiados palestinos de 'fictícios'
    Netanyahu: israelenses e iranianos podem ser amigos depois da queda do governo de Teerã
    'Fora Netanyahu': milhares vão às ruas para pedir a saída do premiê de Israel (FOTOS)
    Tags:
    bomba, programa nuclear iraniano, acordo nuclear, JCPOA, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), União Europeia, Fórum Econômico Mundial (WEF), Donald Trump, Benjamin Netanyahu, Estados Unidos, Irã, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar