04:34 25 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Iraque, militares iraquianos observam ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA às posições do Daesh em Fallujah

    Coalizão dos EUA matou até 6.000 civis no Iraque e na Síria em 2017

    © AP Photo/ Rwa Faisal
    Oriente Médio e África
    URL curta
    815

    De 3.900 a 6.100 civis da Síria e do Iraque morreram em 2017 devido a ataques da coalizão liderada pelos Estados Unidos, disse o grupo britânico de análise e monitoramento AirWars (AMG).

    "Devido aos ataques aéreos e de artilharia da coalizão, o número de mortes entre os não participantes em operações de combate aumentou em mais de 200% em 2017 em relação a 2016, e estava entre 3.923 e 6.102", informou o site da AMG.

    O grupo também relatou que o número de feridos cresceu 55%, bem como descobriu que o aumento do número de mortes entre civis devido a ataques da coalizão coincidiu com a diminuição da atividade militar russa na Síria.

    O Comando Central dos EUA revelou, no final de dezembro, que pelo menos 817 civis foram mortos sem premeditação desde o início da operação na Síria e no Iraque e que outras 603 mortes estão sendo investigadas.

    A coalizão com os EUA à frente está levando a cabo desde 2014 uma operação militar na Síria e no Iraque — sem o consentimento de seus governos — contra o grupo terrorista Daesh.

    O grupo britânico de análise e monitoramento AirWars é uma organização sem fins lucrativos que segue a atividade aérea de vários países no Iraque, Síria e Líbia. A entidade é financiada por doações voluntárias e por organizações de caridade.

    Mais:

    Coalizão internacional admitiu estar treinando combatentes da oposição síria
    Trump afirma que coalizão alcançou 'êxitos históricos' na Síria e Iraque
    Coalizão estadunidense revela o que tenciona fazer na Síria em 2018
    Tags:
    civis, bombardeios, ataque aéreo, coalizão internacional, Airwars, Síria, Iraque, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik