12:55 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    U.S. President Donald Trump answers a question during a joint news conference with Norwegian Prime Minister Erna Solberg at the White House in Washington, U.S., January 10, 2018

    'Visite nosso país de m*rda': Zâmbia usa ofensa de Trump como slogan publicitário (FOTO)

    © REUTERS/ Carlos Barria/File Photo
    Oriente Médio e África
    URL curta
    581

    Compartilhado na página do Facebook Zambia Tourism, o anúncio diz: "Visite o país de m*rda Zâmbia: onde as únicas estrelas e listras que você terá que ver estão no céu e em uma zebra!".

    ​O post do anúncio também incluiu a legenda: "Onde belas vistas e vida selvagem de tirar o fôlego são o nosso trunfo!"

    O anúncio é uma provocação aos comentários de Trump, que classificou Haiti, El Salvador e África como "países de m*rda" recentemente.

    Como é típico, os usuários no Facebook tiveram reações divididas sobre o anúncio.

    "Excelente! A Zâmbia não é apenas um país bonito, mas as pessoas têm senso de humor e uma atitude acolhedora", escreveu um internauta. "Eu adoraria fazer um safari e tirar fotos em seu país". Outra pessoa não pareceu tão entusiasmada com a tática, escrevendo: "Isso não é engraçado. Publicidade ruim".

    A agência não foi a única a tentar atrair alguma atenção. O Airbnb, um serviço de aluguel de apartamentos, também entrou na onda depois de anunciar que gastará US$ 100.000 em anúncios digitais para promover os países que Trump atacou verbalmente.

    Os comentários ofensivos de Trump foram feitos quinta-feira durante uma conversa privada com congressistas da Casa Branca. Na ocasião, o presidente teria perguntado "Por que estamos recendo todas essas pessoas de países de m*rda aqui?" referindo-se a imigrantes haitianos, africanos e salvadorenhos. Ele posteriormente negou a acusação dizendo que "a linguagem que usei foi dura, mas não foi a divulgada".

    Tags:
    ofensa, turismo, Airbnb, Casa Branca, Donald Trump, Zâmbia, El Salvador, Haiti, África
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik