07:46 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados israelenses nas Colinas de Golã, perto da fronteira com a Síria, foto de arquivo

    Exército sírio transtorna planos de Israel na fronteira comum

    © REUTERS / Ronen Zvulun
    Oriente Médio e África
    URL curta
    31564

    Diversos ônibus chegaram à aldeia de Mugr al Mir, Mazaria Beit Jinn, no sudoeste da Síria, na fronteira com Israel, para transportar os combatentes da Frente al-Nusra (grupo terrorista, proibido na Rússia) para Idlib e Daraa.

    As autoridades locais conseguiram por meio de mediadores atingir um acordo com os combatentes para que estes aderissem ao programa de reconciliação e cessassem as hostilidades nesta área. As vitórias do exército sírio contribuíram para as negociações.

    O especialista militar e general de brigada Heitham Hassun explicou à Sputnik Árabe a importância deste acontecimento.

    "Isto permitirá libertar toda a área sudoeste da província de Damasco e, o que é mais importante, estabelecer o controle do norte da província de Quneitra, que Israel quis governar por meio dos terroristas. Agora, tendo recuperado Mugr al Mir e Mazaria Beit Jinn, o exército conseguirá libertar todas as áreas controladas pelos terroristas perto das Colinas de Golã.

    Segundo acrescentou Heitham Hassun, os moradores locais ajudam bastante no avanço do exército sírio, informando sobre as posições dos terroristas. Por sua vez, destacou o militar, os terroristas estão sendo informados sobre o exército sírio por Israel.

    Para além disso, continuou, Israel continua entregando armas aos terroristas e, se necessário, apoia-os com fogo, o que significa que o vizinho do sul não quer abdicar dos planos que acalenta para esta parte da Síria.

    Mais:

    Israel lança disparo de advertência contra posto da fronteira da Síria
    Israel entrega armas aos terroristas na Síria?
    Síria culpa Israel de prestar apoio a agrupamentos terroristas
    Tags:
    tensão militar, fronteira, Colinas de Golã, Israel, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik