05:09 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Benjamin Netanyahu, premiê de Israel

    'Fora Netanyahu': milhares vão às ruas para pedir a saída do premiê de Israel (FOTOS)

    © REUTERS / Thomas Coex
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10215

    Milhares de pessoas em todo Israel se juntaram em marchas contra o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu pela quarta semana consecutiva, exigindo sua renúncia após várias acusações de corrupção.

    Os manifestantes se reuniram no Rothschild Boulevard de Tel Aviv no sábado, levando letreiros nos quais era possível ler "grandes negócios, políticos e submundo" e "vão para casa, corruptos!"

    "Eu vim a ser como todo mundo, contra a corrupção, contra o governo e contra os mentirosos e contra todas as histórias sobre as quais você pode ouvir", disse uma manifestante à Ruptly.

    Vários manifestantes levavam consigo cartazes dizendo "Ministro do Crime", enquanto outros gritavam: "Este é o nosso país, não o país de Netanyahu" e "Bibi Netanyahu vai para a prisão de Maasiyahu". Alguns manifestantes cantavam "Vergonha, vergonha" enquanto marchavam.

    #israel #netanyahu #anticorruption #demonstration #telaviv #rothschild #boulevard

    Uma publicação compartilhada por David Clinton Wills (@thoughtexit) em 23 de Dez, 2017 às 4:41 PST

    A manifestação em Tel Aviv foi convocada por um ex-diretor de comunicações para Netanyahu, Yoaz Hendel.

    "No sábado vou sair para protestar - não em Tel Aviv, mas em Jerusalém, não ‘contra’, ‘mas pelo’ Estado de direito", escreveu Hendel no Facebook.

    Uma publicação compartilhada por @saritbenaroya em 23 de Dez, 2017 às 11:00 PST

    O ex-ministro da Defesa, Moshe Ya'alon, que frequentou repetidamente os comícios anti-Netanyahu em dezembro, dirigiu-se às multidões.

    "A corrupção dá aos cidadãos a sensação de que a injustiça está sendo feita. Este é um perigo maior do que as ameaças colocadas pelo Irã, Hezbollah, Hamas ou [Daesh]", afirmou.

    Cerca de 800 pessoas se reuniram na Praça Zion de Jerusalém, cantando "sem profissionalismo, não há Estado". Os manifestantes exibiram cartazes dizendo "a polícia e a FDI [Forças de Defesa de Israel] pertencem a todos nós" e "nós merecemos uma política limpa".

    אפילו אותי הצליחו להוציא מהבית ⁦✊🏼⁩⁦🗣️⁩

    Uma publicação compartilhada por Rotem Levy-Vega (@rl_vega) em 23 de Dez, 2017 às 2:17 PST

    Demonstrações semelhantes foram realizadas nas cidades de Haifa, Rosh Pina e Nahariya. No total, as manifestações anti-Netanyahu em todo o país reuniram mais de 10.000, de acordo com o jornal israelense Haaretz.

    Netanyahu está envolvido em duas investigações de corrupção separadas. Uma delas se concentra nele alegadamente aceitando presentes que valem dezenas de milhares de dólares do bilionário Arnon Milchan. A segunda investigação está focada em sua suposta tentativa de chegar a um acordo com o influente jornal Yedioth Ahronoth para uma melhor cobertura.

    Entretanto, sua esposa, Sara Netanyahu, enfrenta acusações de fraude sobre supostamente desperdiçando US$ 100.000 de fundos públicos.

    No início de dezembro, Netanyahu foi questionado sobre o escândalo de corrupção. Mais tarde, foi às redes sociais para dizer que todas as acusações contra ele eram infundadas.

    "Não há nada novo sob o sol. Desta vez, também respondi todas as perguntas, e novamente eu digo com absoluta certeza: Não haverá nada, porque não havia nada", escreveu ele.

    Mais:

    Israel preveniu 400 atentados terroristas em 2017
    Israel inicia exercícios militares entre Faixa de Gaza e Jordânia
    Israel diz que mais países 'consideram seriamente' levar embaixadas para Jerusalém
    Tags:
    política, corrupção, Moshe Ya'alon, Yoaz Hendel, Sara Netanyahu, Benjamin Netanyahu, Tel Aviv, Jerusalém, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik