13:00 17 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, durante a coletiva de imprensa em Bruxelas no âmbito de sua visita a países da União Europeia, 11 de dezembro de 2017

    Netanyahu: decisão de Trump sobre Jerusalém é reconhecimento da realidade

    © REUTERS/ Francois Lenoir
    Oriente Médio e África
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (83)
    263

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, iniciou uma visita oficial a vários países da União Europeia, a primeira de um alto representante de Israel nos últimos 22 anos.

    O premiê israelense foi saudado pela chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, durante sua primeira visita à União Europeia.

    Mogherini abordou o assunto de Jerusalém, agravado após a recente decisão dos EUA, dizendo que a UE continuará reconhecendo o "consenso internacional" sobre Jerusalém.

    O alto funcionário de Israel, por sua vez, dirigiu-se ao lado palestino sobre a questão disputada de Jerusalém, dizendo que é hora de os palestinos reconhecerem o Estado judaico e Jerusalém como sua capital.

    Na opinião de Netanyahu, o presidente norte-americano Donald Trump apenas reconheceu um fato evidente: a cidade de Jerusalém é a capital de Israel.

    "O que o presidente Trump fez foi colocar os fatos diretamente na mesa. A paz se baseia na realidade. A paz se baseia no reconhecimento da realidade e creio que o fato de Jerusalém ser a capital de Israel é completamente claro", disse Netayahu em Bruxelas durante uma coletiva de imprensa.

    Esta posição vem na sequência da afirmação feita no dia anterior, quando ele apelou aos palestinos para aceitarem o estatuto de Jerusalém e "se sentarem à mesa para negociar a paz" durante o encontro com o presidente francês, Emmanuel Macron, em Paris.

    O premiê israelense também afirmou esperar que a maioria dos países da União Europeia reconheça Jerusalém como capital de Israel, seguindo a decisão dos EUA quanto ao assunto.

    A política de Israel quanto aos assentamentos é um dos obstáculos para a retomada do processo de paz entre Israel e Palestina. A última tem buscado o reconhecimento diplomático de sua independência nos territórios da Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, parcialmente ocupada por Israel, e da Faixa de Gaza. O governo israelense se recusa a reconhecer a Palestina como Estado independente e continua construindo assentamentos nas áreas ocupadas, apesar das objeções da ONU.

    Anteriormente, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou o reconhecimento de Jerusalém como capital israelense, bem como a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para a cidade sagrada.

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (83)
    Tags:
    conflito regional, disputa territorial, União Europeia, Donald Trump, Federica Mogherini, Benjamin Netanyahu, Jerusalém Oriental, Palestina, Jerusalém, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik