03:31 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    745
    Nos siga no

    O chefe de uma milícia xiita iraquiana apoiada pelo Irã visitou a fronteira do Líbano com Israel acompanhado por combatentes do Hezbollah, mostrou um vídeo lançado postado neste sábado, em um show de influência iraniana que o primeiro-ministro do Líbano chamou de ilegal.

    Qais al-Khazali, líder do grupo paramilitar iraquiano Asaib Ahl al-Haq, declarou-se pronto para "ficar de pé com o povo libanês e a causa palestina", nas filmagens amplamente divulgadas nas mídias sociais.

    Sua aparição na fronteira provavelmente será vista no Oriente Médio como um exemplo de Teerã demonstrando seu alcance e poderia aumentar a tensão no Líbano, pego em uma disputa regional entre o Irã e a Arábia Saudita.

    O primeiro-ministro libanês, Saad al-Hariri, emitiu uma declaração dizendo que a visita à fronteira de um paramilitar em uniforme violava a lei libanesa. Ele havia instruído os chefes de segurança para "impedir que qualquer pessoa exercesse atividades de caráter militar no território do país e para evitar ações ilegais", e impediu Khazali de entrar no país, afirmou.

    O Líbano ainda está se recuperando de uma crise desencadeada há um mês, quando Hariri anunciou sua demissão ao visitar a Arábia Saudita, acusando o Irã e o Hezbollah de se meterem em conflitos regionais em violação da política de não intervenção do Líbano.

    Hariri retornou ao Líbano duas semanas depois e retirou sua demissão na semana passada, enquanto o governo reafirmou sua política de não intervenção.

    Hezbollah, um grupo xiita fortemente armado que luta abertamente na Síria como aliado do Irã, atua no governo de poder compartido com Hariri, um político muçulmano sunita com profundos negócios e vínculos políticos com a Arábia Saudita.

    Um comandante em uma aliança entre Hezbollah, Irã e Rússia, que falou com a Agência Reuters sob condição de anonimato, disse que al-Khazali foi acompanhado por oficiais de Asaib Ahl al-Haq e visitou toda a fronteira com a "Palestina ocupada".

    O comandante não disse quando a visita ocorreu.

    No vídeo, um comandante não identificado, presumivelmente do Hezbollah, gesticula para avanços militares no norte de Israel e explica a Khazali que eles foram atingidos por mísseis Hezbollah em anteriores confrontos entre o grupo e Israel.

    "Estamos agora na fronteira que separa o sul do Líbano com a Palestina ocupada com nossos irmãos no Hezbollah e anunciamos nossa plena preparação para ficarmos unidos contra o ocupante israelense", diz Khazali no vídeo.

    O líder de Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, disse em junho que qualquer guerra futura travada por Israel contra a Síria ou o Líbano poderia atrair militantes de países como o Irã e o Iraque.

    Os Guardas Revolucionários do Irã, que estabeleceram o Hezbollah no Líbano em 1982, mobilizaram milícias xiitas de toda a região nos últimos anos. Eles lutaram contra o Daesh Iraque e ajudaram o presidente Bashar Assad na guerra na Síria.

    Mais:

    Escola francesa no Líbano é obrigada a se desculpar por colocar Israel no mapa
    Primeiro-ministro do Líbano muda de ideia e suspende renúncia
    Ataque de Israel à Faixa de Gaza faz pelo menos 2 mortos entre palestinos
    Tags:
    terrorismo, violência, guerra, fronteira, Daesh, Asaib Ahl al-Haq, Hezbollah, Qais al-Khazali, Saad Hariri, Irã, Iraque, Israel, Líbano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar