02:14 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Cidade Velha de Jerusalém

    Erdogan engrossa contestação à decisão de Trump sobre Jerusalém

    © AFP 2017/ Thomas Coex
    Oriente Médio e África
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (39)
    7153

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, se juntou ao coro de críticas ao seu homólogo norte-americano, Donald Trump, por este reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

    "É impossível entender o que [Donald] Trump quis dizer com esta decisão [sobre Jerusalém], o que ele conseguiu fazer agora é incendiar toda a região", disse ele. O presidente turco sublinhou que "Jerusalém é um lugar sagrado para muçulmanos, judeus e cristãos".

    "Os líderes devem estabelecer a paz e não desencadear conflitos", acrescentou ele.

    Erdogan lembrou que "os EUA espezinharam as resoluções da ONU sobre Jerusalém de 1980, que até agora nunca foram violadas". Segundo o presidente da Turquia, ele prossegue conversações telefônicas sobre este assunto com os líderes dos países muçulmanos, ocidentais e o Papa Francisco.

    "Falarei sobre isso com o presidente [russo Vladimir] Putin e é um tema que diz respeito a todos, não apenas aos muçulmanos", concluiu ele.

    Vários países da África, América, Ásia e Europa, bem como diferentes organizações internacionais, já criticaram a decisão do governo norte-americano.

    Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, declarou que reconhece Jerusalém como capital de Israel. Trump assinou um documento autorizando a transferência da Embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém.

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (39)

    Mais:

    Suprema Corte dos EUA autoriza plena aplicação do decreto migratório de Trump
    Reconhecimento de Trump de Jerusalém como capital de Israel prejudica paz, diz Palestina
    Hamas ameaça EUA com nova intifada caso Trump transfira embaixada para Jerusalém
    Tags:
    relações bilaterais, conflito, Donald Trump, Recep Tayyip Erdogan, Turquia, Jerusalém, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik