18:20 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Soldado do exército sírio com arma na mão na província síria de Quneitra, 4 de novembro de 2017

    Saiba quantos bilhões sauditas e qatarenses 'gastaram na guerra terrorista na Síria'

    © REUTERS/ Alaa Al-Faqir
    Oriente Médio e África
    URL curta
    590
    Nos siga no

    O representante permanente da Síria na ONU, Bashar Jaafari, durante o seu discurso perante o Terceiro Comitê da Assembleia Geral da ONU na segunda-feira (13), disse que "a Arábia Saudita e Qatar gastaram 137 bilhões de dólares (cerca de 440 bilhões de reais) com a guerra terrorista na Síria".

    "Quantias astronômicas foram gastas com a guerra no Iêmen, Iraque, Líbia e outros países". Ele disse que estes números foram divulgados pelo ex-premiê e ministro das Relações Exteriores qatarense Hamad Jassim durante a sua intervenção na televisão do Qatar na semana passada.

    Será que esta quantia pode ser chamada de prejuízo líquido ou uma parte dos objetivos dos investidores foi realizada?

    O membro do órgão legislativo consultivo no sistema de governo da Arábia Saudita, Sadaqah Hamza, em entrevista à Sputnik Árabe disse que "as declarações de Jaafari em relação às despesas da Arábia Saudita para apoio ao terrorismo na Síria não têm nada a ver com a realidade".

    O político saudita disse que Jaafari tem uma posição hostil para com a Arábia Saudita porque ela ajuda o povo sírio que "se insurgiu contra as autoridades sírias e agora está lutando pelos seus direitos e liberdade. Por isso ele considera o reino como inimigo".

    Quanto às declarações sobre as transferências monetárias para a Síria, Sadaqah Hamza disse que "a Arábia Saudita participa do conflito sírio do lado do povo sírio que está lutando contra o regime". Ele adicionou que o reino considera a oposição moderada como representante legal da maioria da população síria. O governo sírio, para ele, representa somente uma pequena parte dos sírios.

    Por outro lado, o cientista político qatarense, Ali Heil, disse à Sputnik Árabe que "na ONU percebem as particularidades da situação na Síria e o conflito de interesses das partes envolvidas. A Síria está em conflito com a Arábia Saudita e Qatar, e Jaafari os tenta desacreditar".

    Ele opina que, talvez, as palavras do representante sírio visam estragar também as relações entre a Rússia e Arábia Saudita, que têm melhorado ultimamente. Em especial, em meio aos fornecimentos de armas russas.

    Ali Heil acrescentou que não é a primeira vez que acusam o Qatar de financiar os terroristas. Mas, na verdade, as organizações de beneficência do Qatar estão constantemente a ajudar os sírios. Por exemplo, no norte de Aleppo construíram escolas, hospitais e povoados para os sírios.

    O cientista político mencionou que não têm certeza que Jaafari comunicou corretamente as palavras do ex-premiê, em especial em relação aos 137 bilhões de dólares.

    Contudo, o deputado sírio Jamal Zuubi disse à Sputnik Árabe que Jaafari disse a pura verdade na ONU. E que, de fato, a soma designada por ele é muito menor do que as despesas reais desses países. Com o terrorismo na Síria e outros países árabes foram gastas enormes quantias que serão conhecidas somente no futuro.

    Em relação à atividade das organizações de beneficência qatarenses na Síria, o deputado Jamal Zuubi disse que os sírios viram o resultado dessa ajuda nos armazéns terroristas capturados: armas e medicamentos trazidos da Arábia Saudita, Qatar, Turquia e Israel.

    Mais:

    Militares iraquianos libertam última cidade ocupada pelo Daesh no país
    EUA desejam cooperar com a Rússia para formação de zonas de segurança na Síria
    Síria pode se tornar segundo Vietnã para EUA
    Tags:
    representante, prejuízo, conflito, financiamento, terrorismo, ONU, Qatar, Arábia Saudita, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar