05:21 24 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Deir ez-Zor, Síria (arquivo)

    Defesa russa divulga imagens de comboio do Daesh poupado por coalizão dos EUA

    © AFP 2017/ AHMAD ABOUD
    Oriente Médio e África
    URL curta
    223106310

    O Ministério da Defesa da Rússia divulgou imagens nesta terça-feira mostrando um comboio do grupo terrorista Daesh deixando a cidade síria de Abu Kamal, na província de Deir ez-Zor, sob suposta proteção da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

    "Defesa russa mostra evidência irrefutável de que os EUA estão realmente cobrindo unidades de combate do ISIS para recuperar suas capacidades de combate, redistribuir e usá-las para promover os interesses americanos no Oriente Médio"

    De acordo com a Defesa russa, as forças norte-americanas teriam se recusado a atacar os terroristas que estavam se retirando de Abu Kamal, ao mesmo tempo em que rejeitaram uma oferta de Moscou para realizar bombardeios conjuntos contra posições extremistas na região. 

    "O lado americano se recusou categoricamente a realizar ataques aéreos contra terroristas do Daesh, alegando que os militantes estavam se rendendo voluntariamente e agora ficariam sob as disposições da Convenção de Genebra Relativa ao Tratamento de Prisioneiros de Guerra." 

    Para a Rússia, tais ações da coalizão provam que o avanço das tropas sírias na área de Abu Kamal minaram os planos americanos de criar uma zona a leste do rio Eufrates que seria controlada por forças aliadas a Washington e não pelo Exército Sírio. 

    Mais:

    Damasco: presença dos EUA na Síria sem consentimento do governo é uma 'agressão'
    Chanceler russo: militantes apoiados pelos EUA representam maior ameaça na Síria
    Chefe do Pentágono designa condição para saída das tropas norte-americanas da Síria
    Pentágono: ONU permitiu aos EUA combater na Síria
    Tags:
    Estado Islâmico, ISIS, Daesh, Oriente Médio, Moscou, Washington, Deir ez-Zor, Abu Kamal, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik