02:25 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    750
    Nos siga no

    "Andi Mack" fez história ao se tornar a primeira série infantil da Disney com um personagem gay. O que foi comemorado por ativistas como um grande passo da tradicional empresa de audiovisual americana desagradou autoridades quenianas.

    O presidente do Kenya Film Classification Board, conselho que dá classificações indicativas para obras de ficção serem exibidas no país, Ezekiel Mutua disse no Twitter que a homossexualidade "vai contra a cultura coletiva e os valores defendidos" pelo povo queniano.

    ​Mutua também comentou a decisão em seu Facebook. “Conteúdo gay não será exibido no Quênia. Ponto. Quando se trata de proteger as crianças da exposição ao conteúdo ruim, somos determinados e não iremos voltar atrás. A instituição da família é sacrossanta. É a unidade básica da sociedade e é derivada de uma união entre um homem e uma mulher. Qualquer outra doutrina, ensino ou informação é uma heresia e uma farsa”.

    A Disney não comentou diretamente a decisão, mas respondeu à imprensa que tomou cuidado para que o episódio fosse adequado a todas as idades e pudesse, assim, passar uma "poderosa mensagem de inclusão e respeito pela humanidade". 

    Tags:
    Andi Mack, Disney, Twitter, Kenya Film Classification Board, Ezekiel Mutua, Quênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar