01:09 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O segundo filho de Muammar Gaddafi, Seif Islam

    Em vez dos 'planos de países estrangeiros': filho de Kadhafi volta para a política

    © Sputnik / Vladimir Fedorenko
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5290

    O advogado da família Kadhafi, Khalid al Zaidi, informou em uma entrevista à Sputnik Árabe que o filho do ex-líder líbio, Saif al-Islam Kadhafi, voltará para a política.

     "A condição atual do país, ausência de diálogo, incompreensão do cenário real — tudo isso torna necessário a volta de Saif al-Islam para chegar a um acordo político", explica o advogado.

    "Às vezes surgem notícias que Saif al-Islam saiu da Líbia, mas não é verdade. Ele está em contanto com os líderes líbios e representantes de tribos  para encontrar a solução política e estabelecer paz entre as partes em conflito…", declarou o advogado à Sputnik Árabe.

    "Ele não abandonou o país e não irá abandoná-lo", assegurou.

    Ao mesmo tempo, o advogado da família acrescentou que "seu trabalho não é parecido com as negociações realizadas na Tunísia. Os participantes das negociações não têm interesse na estabilidade [da região] e, sim, em fechar acordos uns com os outros, protegendo interesses privados que não têm nada a ver com as necessidades dos líbios comuns", destacou.

    "Tais negociações correspondem aos planos de países estrangeiros que beneficiam a longa crise líbia", enfatizou.

    Além disso, Khalid al Zaidi adicionou que "os líbios não esperam nada dessas negociações, porque já faz 7 anos que elas acontecem sem nenhum resultado. Apenas trazem sofrimentos, guerra, destruições e fome".

    Neste mesmo contexto, o advogado ressaltou que Saif al-Islam Kadhafi  é apoiado pelo povo comum do país. Por esta razão, vai basear sua política em "tentativas dos líbios comuns de participar na luta contra o terrorismo e estabilizar a situação na região", acrescentando que "hoje ele é a única esperança para os residentes do país".

    A Líbia vive em uma crise profunda desde 2011, ano no qual foi derrubado e assassinado o legendário líder do país, Muammar Kadhafi. Desde então, se criou um vácuo institucional que contribuiu para o crescimento da violência, proliferação de grupos jihadistas e dualidade de poder.

    Atualmente, em Trípoli funciona o Governo de Unidade Nacional, reconhecido como legítimo pelo Conselho de Segurança da ONU e presidido por Fayez Sarraj. As autoridades da parte oriental do país, por sua vez, atuam de forma independente e cooperam com o Exército Nacional da Líbia, sob a chefia de Khalifa Haftar, que está travando uma guerra contra os jihadistas.

    Mais:

    O que destinos tristes de Hussein e Kadhafi têm a ver com programa nuclear de Pyongyang?
    Será Moscou capaz de reconciliar os 'herdeiros' de Kadhafi?
    Médico pessoal de Kadhafi revela como país foi devorado pela 'maldita guerra'
    Filho de Kadhafi é o novo líder da Líbia?
    Coreia do Norte não quer seguir os passos de Saddam e Kadhafi
    Primo de Kadhafi explica por que Ocidente invadiu Líbia
    Tags:
    interesses, jihadistas, política, líder, filho, terroristas, conflito, guerra, crise, ONU, Muammar Kadhafi, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik