11:42 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Bandeiras de Curdistão. (File)

    Estados Unidos ao Iraque e Curdistão: 'Parem de provocações'

    © AFP 2017/ FABRICE COFFRINI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7109346

    O Departamento de Estado dos Estados Unidos pediu ao Iraque e ao Curdistão iraquiano que evitem provocações depois que o primeiro-ministro iraquiano Haider Abadi ordenou uma operação militar para retomar o controle de instalações federais na província de Kirkuk, em meio ao voto de independência curdo.

    O Departamento de Estado dos EUA pediu às autoridades do Iraque e do Curdistão iraquiano que evitem provocações na situação em torno da província de Kirkuk e coordenem atividades militares.

    No domingo, o primeiro-ministro iraquiano, Haider Abadi, ordenou que o exército e a polícia do país retomassem as bases e instalações federais na província de Kirkuk, após o referendo da independência curda considerado ilegal por Bagdá. A votação foi realizada em 25 de setembro na autonomia e outros territórios reivindicados por Erbil e de fato controlados pela Peshmerga. Mais cedo, as tropas iraquianas estabeleceram o controle de uma série de instalações militares e de transporte na província.

    Em sua declaração, Abadi ordenou que as forças iraquianas cooperassem com a milícia Peshmerga e evitassem os confrontos.

    Os Estados Unidos também estavam trabalhando com funcionários dos governos centrais e regionais para reduzir as tensões, evitar novos choques e encorajar o diálogo, enfatizou.

    O vice-presidente iraquiano do Curdistão disse na sexta-feira que Erbil enviaria 6.000 soldados Peshmerga a Kirkuk para combater o plano de Bagdá para retomar o controle da área. A mídia local informou na segunda-feira que 3.000 peshmerga curdos foram adicionalmente implantados em Kirkuk.

    Tanto as forças iraquianas quanto as forças curdas foram treinadas e armadas pelos Estados Unidos. 

    Mais:

    EUA não reconhecem referendo no Curdistão iraquiano, mas pedem calma
    Bagdá anuncia que irá tomar postos de fronteira no Curdistão com ajuda de Irã e Turquia
    ONU oferece ajuda para resolver crise no Curdistão
    'Declarar guerra ao Curdistão iraquiano significa entrar em conflito com EUA e Israel'
    Tags:
    Peshmerga, Departamento de Estado dos EUA, Haider Abadi, Curdistão iraquiano, Iraque, Bagdá, Erbil, Kirkuk, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik