09:11 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Vista de Teerã, capital iraniana

    Alemanha se apressa para dar fim ao programa nuclear iraniano

    © Fotolia/ Borna_Mir
    Oriente Médio e África
    URL curta
    294575

    O acordo sobre o programa nuclear iraniano, conhecido como Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA), alcançado em Viena, deve ser implementado na íntegra para corresponder aos interesses do governo alemão e seus parceiros, disse o Ministério das Relações Exteriores alemão em comunicado.

    "Além dos nossos parceiros, o governo federal [alemão] também está muito interessado na implementação plena e incondicional do acordo de Viena", diz a nota do Ministério, acrescentando que o acordo pode contribuir para o crescimento da confiança mútua em caso de plena realização.

    O Irã e seis mediadores internacionais (China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos), chegaram ao JCPOA, para garantir a natureza pacífica do programa nuclear do país em julho de 2015.

    Em janeiro de 2016, a conformidade do Irã com os termos da JCPOA, verificada pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), permitiu que uma grande parte das sanções internacionais anti-iranianas fossem retiradas, incluindo a privação de acesso a bens congelados, a proibição na compra de aviões de passageiros e venda de petróleo e carvão. No entanto, o texto está sob risco desde a eleição de Donald Trump, assumidamente contrário ao compromisso firmado com os iranianos.

    Mais:

    Secretário de Estado dos EUA: 'Acordo Nuclear com o Irã não conseguiu atingir objetivos'
    Irã: Acordo nuclear não sofrerá revisão
    EUA e Arábia Saudita defendem 'aplicação estrita' do acordo nuclear com Irã
    Rússia está preocupada com a possível retirada do Irã do acordo nuclear de 2015
    Tags:
    bomba nuclear, Plano de Ação Integral Conjunto, JCPOA, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, Donald Trump, Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, Alemanha, França, China, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik