14:02 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    45135
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, informou ao secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, que a Casa Branca está pronta para permitir que a Rússia decida o futuro do presidente sírio Bashar Assad, informou a mídia norte-americana nesta segunda-feira.

    A posição de Washington foi repassar à Guterres na semana passada, durante uma reunião privada no Departamento de Estados, informou a revista Foreign Policy, citando fontes diplomáticas. Tillerson ressaltou que a prioridade dos EUA é derrotar os terroristas do Daesh na Síria.

    Ao mesmo tempo, o secretário dos EUA indicou que as medidas militares do país para derrotar as forças leais ao governo de Assad pretendem alcançar objetivos táticos limitados, como impedir novos ataques químicos na Síria e proteger forças de coalizão, segundo a reportagem.

    Na semana passada, a Casa Branca divulgou um comunicado em que informou ter encontrado indícios de que um novo ataque com armas químicos estaria sendo preparado pela forças sírias. A mesma nota informava que, se Assad usasse tais armas contra civis, “ele e seus militares” pagariam um preço alto.

    No dia seguinte, autoridades sírias refutaram as alegações, enquanto o Kremlin considerou inaceitáveis as ameaças feitas pela Casa Branca contra o legítimo governo sírio.

    A próxima rodada de negociações internacionais a respeito da crise síria acontece entre os dias 4 e 5 de julho, em Astana, no Cazaquistão.

    Mais:

    OPAQ não quer enviar especialistas para investigar ataque químico em Idlib, na Síria
    Damasco promete responder a Washington em caso de nova agressão contra a Síria
    Senador russo alerta para uma provocação com armas químicas em breve na Síria
    Tags:
    armas químicas, diplomacia, política, guerra síria, crise síria, Casa Branca, ONU, Antonio Guterres, Rex Tillerson, Bashar Assad, Rússia, Estados Unidos, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar