18:33 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Atentado em frente a delegacia mata duas pessoas no Egito

    Egito condena 31 pessoas à morte por atentado terrorista a promotor

    © AP Photo / Eman Helal
    Oriente Médio e África
    URL curta
    141

    Um tribunal egípcio no sábado condenou 31 pessoas à morte pelo assassinato de um ex-promotor público através de um atentado a bomba em seu carro em 2015, informou a TV estatal egípcia.

    Os réus foram condenados por assassinato premeditado, associação com uma organização terrorista e posse de armas e explosivos.

    O tribunal encaminhou a sentença para Grão-mufti Shawki Allam, o maior funcionário islâmico do país, que dará o julgamento religioso de todas as sentenças de morte preliminares. A opinião do Mufti não é vinculativa, pois geralmente é considerada uma formalidade.

    O ex-promotor público Hisham Barakat morreu em decorrência do ataque com bomba ao seu carro no Cairo em 29 de junho de 2015. Um carro-bomba atingiu seu comboio quando ele estava saindo de casa.

    Um grupo pouco conhecido que se chamava de "Resistência Popular de Giza" reivindicava a responsabilidade do ataque. Antes do ataque, o grupo de afiliados do Daesh no Sinai, então conhecido como Ansar Beit al-Maqdis instou os seguidores a atacar os juízes.

    Barakat foi nomeado procurador-chefe após a expulsão do presidente islâmico Mohamed Morsi em 2013.

    Tags:
    Resistência Popular de Giza, Ansar Beit al-Maqdis, Daesh, Estado Islâmico, Shawki Allam, Hisham Barakat, Mohamed Morsi, Sinai, Cairo, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik