17:42 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Fragata russa Admiral Grigorovich no estreito do Bósforo rumo ao mar Mediterrâneo, 7 de abril 2017

    Qual é o objetivo da Rússia no lançamento de mísseis perto da costa líbia?

    © REUTERS / Yoruk Isik
    Oriente Médio e África
    URL curta
    30491

    Os navios do grupo naval da Marinha russa posicionado no Mediterrâneo se preparam para realizar exercícios de lançamento de mísseis perto da costa leste da Líbia. A recente tragédia neste país lança uma nova luz sobre este evento programado, afirmam os especialistas russos.

    Os exercícios estão previstos para 24-26 de maio. Em meados deste mês, Moscou emitiu um aviso para informar as companhias aéreas de que nestas datas a zona norte de Tobruk será encerrada para a aviação civil por causa do treinamento de lançamento de mísseis pelos militares. Segundo RBC, este aviso se aplica à região que cobre toda a costa da Líbia.

    Atualmente, o grupo naval da Marinha russa no Mediterrâneo inclui duas fragatas, Admiral Grigorovich e Admiral Essen, assim como o submarino Krasnodar. Os navios estão equipados com mísseis de cruzeiro Kalibr e com sistemas de defesa antiaéreos Shtil.

    Tendo em conta a localização dos exercícios, é evidente o contexto político do evento, escreve o jornal russo Svobodnaya Pressa (Imprensa Livre) citando vários especialistas.

    "O mar Mediterrâneo tem muitos lugares onde se podem realizar testes de lançamento, enquanto a zona mencionada se encontra nas proximidades do Canal de Suez. É obvio que desta forma a Rússia quer mostrar seu papel na normalização da situação na Líbia", opina o diretor do Centro de Estudos Islâmicos do Instituto de Desenvolvimento Inovador, Kirill Semenov.

    O especialista do Instituto do Oriente Médio Sergei Balmasov crê que, dado o recente ataque contra a base aérea de Birak, os exercícios russos adquirem um significado especial. "Está claro que foram planificados e divulgados antes da derrota do Exército Nacional nesta base aérea, mas seu significado é obvio: assim, a Rússia expressa seu apoio direito a Khalifa Hafter naqueles eventos que contam com a sua participação."

    O ataque contra Birak, no sul da Líbia, teve lugar em 19 de maio e resultou em 141 mortos, entre eles havia soldados do Exército Nacional, comandado pelo general Khalifa Hafter, que regressavam dum desfile militar e não estavam armados.

    A ofensiva foi lançada por milícias leais ao Governo de Unidade Nacional apoiado pela ONU. O ataque violou o cessar-fogo na região.

    O Governo encabeçado por Fayez al-Sarraj negou que tenha ordenado às milícias para atacar a base.

    Mais:

    Quem pode tirar proveito da instabilidade na Líbia?
    Unidade política na Líbia está a passo de se tornar real
    Tags:
    exercício naval, ataque aéreo, lançamento, Admiral Grigorovich, Kalibr, Marinha da Rússia, Fayez al-Sarraj, Mar Mediterrâneo, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik