09:45 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Fragata russa Admiral Grigorovich no estreito do Bósforo rumo ao mar Mediterrâneo, 7 de abril 2017

    Qual é o objetivo da Rússia no lançamento de mísseis perto da costa líbia?

    © REUTERS / Yoruk Isik
    Oriente Médio e África
    URL curta
    30491
    Nos siga no

    Os navios do grupo naval da Marinha russa posicionado no Mediterrâneo se preparam para realizar exercícios de lançamento de mísseis perto da costa leste da Líbia. A recente tragédia neste país lança uma nova luz sobre este evento programado, afirmam os especialistas russos.

    Os exercícios estão previstos para 24-26 de maio. Em meados deste mês, Moscou emitiu um aviso para informar as companhias aéreas de que nestas datas a zona norte de Tobruk será encerrada para a aviação civil por causa do treinamento de lançamento de mísseis pelos militares. Segundo RBC, este aviso se aplica à região que cobre toda a costa da Líbia.

    Atualmente, o grupo naval da Marinha russa no Mediterrâneo inclui duas fragatas, Admiral Grigorovich e Admiral Essen, assim como o submarino Krasnodar. Os navios estão equipados com mísseis de cruzeiro Kalibr e com sistemas de defesa antiaéreos Shtil.

    Tendo em conta a localização dos exercícios, é evidente o contexto político do evento, escreve o jornal russo Svobodnaya Pressa (Imprensa Livre) citando vários especialistas.

    "O mar Mediterrâneo tem muitos lugares onde se podem realizar testes de lançamento, enquanto a zona mencionada se encontra nas proximidades do Canal de Suez. É obvio que desta forma a Rússia quer mostrar seu papel na normalização da situação na Líbia", opina o diretor do Centro de Estudos Islâmicos do Instituto de Desenvolvimento Inovador, Kirill Semenov.

    O especialista do Instituto do Oriente Médio Sergei Balmasov crê que, dado o recente ataque contra a base aérea de Birak, os exercícios russos adquirem um significado especial. "Está claro que foram planificados e divulgados antes da derrota do Exército Nacional nesta base aérea, mas seu significado é obvio: assim, a Rússia expressa seu apoio direito a Khalifa Hafter naqueles eventos que contam com a sua participação."

    O ataque contra Birak, no sul da Líbia, teve lugar em 19 de maio e resultou em 141 mortos, entre eles havia soldados do Exército Nacional, comandado pelo general Khalifa Hafter, que regressavam dum desfile militar e não estavam armados.

    A ofensiva foi lançada por milícias leais ao Governo de Unidade Nacional apoiado pela ONU. O ataque violou o cessar-fogo na região.

    O Governo encabeçado por Fayez al-Sarraj negou que tenha ordenado às milícias para atacar a base.

    Mais:

    Quem pode tirar proveito da instabilidade na Líbia?
    Unidade política na Líbia está a passo de se tornar real
    Tags:
    exercício naval, ataque aéreo, lançamento, Admiral Grigorovich, Kalibr, Marinha da Rússia, Fayez al-Sarraj, Mar Mediterrâneo, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar