12:22 19 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Vítima de um ataque suspeito com armas químicas enquanto recebe tratamento em um hospital na cidade de Khan Shaykhun, na província de Idlib, na Síria

    EUA aplicam sanções a 270 cientistas sírios por ataque químico

    © AP Photo/ Edlib Media Center
    Oriente Médio e África
    URL curta
    24898011

    O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, por sua sigla em Inglês) do Departamento do Tesouro dos EUA, sancionou 271 colaboradores do Centro de Pesquisa e Científicos Estudos da Síria, responsável pela produção de agentes de armas químicas.

    "Em uma das sanções mais abrangentes da história, OFAC está designando 271 colaboradores do Centro de Pesquisa e Estudos científicos na Síria", disse o escritório em um comunicado.

    O texto acrescenta que esses 271 funcionários "têm experiência em química e disciplinas afins e/ou trabalhou em apoio ao programa de armas químicas" deste centro de pesquisa "pelo menos desde 2012".

    As sanções foram impostas sob uma ordem executiva  tendo o governo sírio e os seus apoiadores como alvo. Os 271 indivíduos sancionados na segunda-feira por terem apoiado ou fornecido assistência a Damasco, disse o comunicado.

    No texto, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin disse que desta forma os EUA estão enviando uma forte mensagem para o governo sírio e presidente do país, Bashar Assad, referindo-se ao ataque químico contra civis ocorreu em 4 de de abril, na cidade de Khan Shaykhun.

    Além disso, os EUA vão bloquear as redes financeiras de todos os indivíduos envolvidos na produção de armas químicas na Síria.

    "Tomamos o desprezo da Síria para a vida humana inocente muito a sério, e vamos perseguir incansavelmente e bloquear redes financeiras de todos os indivíduos envolvidos na produção de armas químicas utilizadas para cometer essas atrocidades", disse o secretário do Tesouro Steven Mnuchin.

    As sanções bloqueiam as propriedades sujeitas à jurisdição dos Estados Unidos dessas 271 pessoas e proíbe cidadãos americanos de fazer negócios com eles.

    Em 19 de Abril, a Organização para a Proibição de Armas Químicas disse que as mostras de uma prova inicial se apresentaram irrefutáveis e que gás sarin foi utilizado no ataque. Assad nega o uso de armas químicas.

    Mais:

    'Damasco tem 100% de certeza de que os terroristas obtiveram as armas químicas na Turquia'
    Chefe do Pentágono acusa Damasco de manter armas químicas
    Rússia acusa Ocidente de bloquear investigações sobre ataque de armas químicas na Síria
    Iraque: Daesh usou armas químicas contra o exército em Mossul
    Tags:
    Sarin, OFAC, Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), Steven Mnuchin, Bashar Assad, Khan Shaykhun, Estados Unidos, Idlib, Damasco, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik