23:51 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Soldados franceses patrulhando as ruas de Bangui em julho de 2014

    Promotoria de Paris exige parar caso de estupros na República Centro-Africana

    © AP Photo / Stephane de Sakutin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 04

    A Promotoria de Paris exige parar o caso em relação aos militares franceses acusados de cometerem estupros de meninas menores de idade na República Centro-Africana (RCA), informa a Agence France-Presse citando fontes ligadas ao processo.

    Em março de 2016, a organização AIDS-Free World publicou informação sobre mais de uma centena de novos casos de exploração sexual cometidos por militares que estavam em serviço na RCA desde 2013 até 2015. A maioria das vítimas de abuso sexual era menor de idade.

    Além disso, em um desses casos, um comandante militar francês é acusado de obrigar meninas a manterem relações com um cachorro em troca de dinheiro.

    Segundo a agência, os juízes de instrução devem declarar a cessação do caso. Nota-se que este é um cenário mais provável, pois não há provas concretas contra os militares.

    Ao mesmo tempo, o representante permanente da Angola na ONU, Gaspar Martins, declarou, resumindo as consultas no Conselho de Segurança da ONU realizadas em março do ano passado, que o representante da França prometeu durante as reuniões que iria ser realizada uma investigação completa das acuações aos militares franceses.

    Nos últimos anos as forças francesas conduziram na RCA a operação Sangaris, junto com a missão de paz da ONU, que inclui operações de manutenção da paz. Anteriormente no país encontrava-se uma missão da União Africana.

    Mais:

    Violência generalizada provoca dezenas de mortes na República Centro-Africana
    Rebeldes massacram 26 civis em vilarejo da República Centro-Africana, diz presidência
    República Centro-Africana registra 17º caso de abuso sexual envolvendo funcionários da ONU
    Tags:
    investigação, manutenção da paz, paz, missão diplomática, forças militares, exploração sexual, abuso sexual, estupro, casos, promotoria, Sangaris, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Angola, Paris, França, República Centro-Africana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar