20:08 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Palmira novamente reconquistada (23)
    2221
    Nos siga no

    O comandante do agrupamento russo de tropas na Síria, coronel-general Andrei Kartapolov, afirmou que o sucesso da operação de libertação da cidade síria de Palmira foi possível graças às ações da Força Aeroespacial da Rússia e ao espírito de sacrifício dos militares sírios.

    "Eu queria dar um destaque especial às ações da nossa Força Aeroespacial russa que privou o inimigo da capacidade de manobra e da possibilidade de receber reservas em tempo, [bem como] as ações das subdivisões das Forças de Operações Especiais das Forças Armadas russas que efetuaram um trabalho de reconhecimento e atacaram os alvos mais importantes", afirmou Kartapolov no ar do canal de TV russo Rossiya 24.

    Além disso, o coronel-general sublinhou a coragem e o espírito de sacrifício dos soldados sírios, dos oficiais e milicianos que não pouparam suas vidas para alcançar o objetivo e "devolver a cidade não só ao povo sírio, mas também a toda a humanidade".

    Palmira, um dos centros mais ricos da civilização, tem estado sob controle do agrupamento terrorista Daesh, proibido na Rússia, desde maio de 2015. Em março do ano passado, o exército da Síria conseguiu libertar a cidade com o apoio da aviação russa.

    Porém, em dezembro de 2016 os militantes acabaram por reconquistar Palmira e destruir parte do seu patrimônio cultural.

    Em 2 de março de 2017 foi comunicado que os militares sírios junto com a Força Aeroespacial russa libertaram Palmira pela segunda vez, sendo que os terroristas em fuga não chegaram a destruir todos os monumentos antigos.

    Tema:
    Palmira novamente reconquistada (23)

    Mais:

    Assim está Palmira libertada
    Imortalidade de Palmira: ofensiva rápida e salvação da pérola do deserto
    RT obtém primeiras imagens exclusivas de Palmira libertada
    Tags:
    Palmira, Síria, Andrei Kartapolov, Força Aeroespacial da Rússia, libertação, exército
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar