17:31 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    20210
    Nos siga no

    A Rússia vai vetar o projeto de resolução que pede sanções contra a Síria por conta do suposto uso de armas químicas contra civis, afirmou um alto diplomata russo nas Nações Unidas nesta sexta-feira (24).

    "Há um argumento de que a própria resolução contradiz o princípio fundamental da presunção de inocência antes que a investigação termine", disse Vladimir Safronkov, vice-embaixador da Rússia, após uma reunião do Conselho de Segurança para discutir o texto do documento.

    Em entrevista coletiva, o diplomata disse que há uma "tremenda pressão" para que a investigação conjunta realizada pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) produza um resultado unilateral.

    "Vamos vetá-la", disse Safronkov, referindo-se ao que Moscou faria se a resolução for submetida a votação.

    O projeto de resolução procura impor sanções (congelamento de bens e restrições de viagens) a 11 comandantes e oficiais militares sírios e a 10 entidades governamentais e afins envolvidos no suposto desenvolvimento e produção de armas químicas.

    A investigação da OPAQ afirma que as forças do governo sírio foram responsáveis por três ataques de gás cloro e que os militantes islâmicos usaram gás de mostarda. O governo do presidente Bashar Assad nega as acusações.

    Mais:

    Washington impõe sanções contra Exército da Síria
    Militantes em Aleppo atacaram civis com gás mostarda, dizem especialistas militares russos
    Damasco nega uso de armas químicas na libertação de Aleppo
    Fábricas de armas químicas foram encontradas em Aleppo
    Tags:
    armas químicas, veto, resolução, Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), Conselho de Segurança da ONU, Vladimir Safronkov, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar