17:49 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13190
    Nos siga no

    Países que apoiam grupos armados de oposição na Síria, como Estados Unidos, França, Reino Unido e vários Estados do Oriente Médio, deveriam parar de interferir em assuntos internos da república árabe e se juntar à luta contra os terroristas, segundo afirmou o vice-chanceler sírio, Faisal Mekdad, nesta segunda-feira.

    Visita do vice-primeiro-ministro russo, Dmitry Rogozin, à Síria
    © Sputnik / Sergei Mamontov
    De acordo com o diplomata, a prioridade de Damasco neste momento é justamente o combate a organizações radicais apoiadas por estrangeiros. 

    "Agora, nós devemos focar nossos esforços diplomáticos em encontrar uma solução para esse problema. Os países interessados na crise síria devem parar de se meter em assuntos internos (sírios) e cooperar no combate ao terrorismo", afirmou Mekdad, citado pela agência SANA

    O vice-ministro das Relações Exteriores da Síria pediu à comunidade internacional para pressionar todos aqueles que "apoiam, financiam e armam milícias na Síria, no Iraque e no Oriente Médio em geral", destacando que é necessário também combater ideias radicais que servem como fonte para o terrorismo na região. 

    Mais:

    EUA acusam vice da Venezuela de ajudar terroristas no Oriente Médio
    Torre Eiffel vai ganhar 'muro' de 2,5 metros de altura contra ataques terroristas
    Assad: há terroristas deixando a Síria e vivendo como inocentes na Europa
    Terroristas do Daesh executam 200 prisioneiros de facções rivais na Síria
    Tags:
    terroristas, terrorismo, Faisal Mekdad, Damasco, Oriente Médio, Iraque, Síria, Reino Unido, EUA, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar