00:09 16 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Jerusalém Oriental

    EUA arriscam perder posições na resolução da crise no Oriente Médio

    © flickr.com / Chad Rosenthal
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    Chefe do partido Iniciativa Nacional Palestina, Mustafa Barguti declarou no domingo passado (8), em entrevista à Sputnik Árabe, que se os políticos americanos realmente transferirem sua embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, eles irão perder a possibilidade de participar da resolução pacífica da situação no Oriente Médio.

    "Esse passo será um precedente perigoso em direito internacional. A transferência da embaixada americana para Jerusalém irá significar o reconhecimento oficial da anexação israelense. Mas isso contradiz dezenas de leis internacionais e a resoluções da ONU que condenam Israel pela construção de assentamentos nos territórios da Palestina ocupados desde 1967. Neste caso, os EUA se tornarão parceiros de Israel em violação do direito internacional, que exclui a possibilidade de anexação de territórios a força", explicou Barguti.

    Segundo frisou o chefe do partido palestino em entrevista à Sputnik Árabe, um dos comités da Organização para a Libertação da Palestina realizou ontem uma reunião para definir medidas que a Organização irá tomar caso os EUA transfiram sua embaixada para Jerusalém.

    Os americanos devem ter em conta que a reação da Palestina será imediata, sublinhou o especialista.

    Durante as eleições presidenciais nos EUA, Donald Trump prometeu que, caso fosse eleito chefe do Estado, ele iria transferir a embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém. Após ter sido eleito, Trump propôs David Friedman para o posto de embaixador dos EUA em Israel, o qual expressou a esperança de trabalhar em prol de paz "na embaixada dos EUA na capital eterna de Israel — Jerusalém".

    A questão da localização de embaixadas estrangeiras em Israel é politizada, porque não só os israelenses consideram Jerusalém como sua capital, como também os palestinos. Em 1967, Israel invadiu Jerusalém Oriental, povoada por árabes e então controlada pela Jordânia. A embaixada dos EUA, como as de muitos outros países, está localizada em Tel Aviv.

    Mais:

    Câmara dos Representantes dos EUA condena ONU por resolução contra Israel
    Israel decide não devolver corpos de combatentes do Hamas
    Putin e Netanyahu discutem crise síria e conflito entre Israel e Palestina
    Presidente da Palestina diz que paz com Israel é alcançável
    Tags:
    ocupação, resolução pacífica, anexação, embaixada, violação, capital, direito internacional, Iniciativa Nacional Palestina, Organização para Libertação da Palestina, ONU, Mustafa Barghouti, Donald Trump, Tel Aviv, Palestina, Oriente Médio, Jerusalém, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar