02:15 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares sírios em Aleppo libertada

    Opinião: Arábia Saudita, Turquia e Qatar perderam em Aleppo

    © Foto / SANA
    Oriente Médio e África
    URL curta
    20282
    Nos siga no

    “A libertação do ponto estratégico mais importante na Síria – Aleppo, sob controle da oposição armada, mudou o curso da guerra na Síria, contribuiu para reforço da influência do exército sírio e aumento do espírito militar”.

    O presidente do Conselho Democrático sírio, político curdo Rezan Hiddo, em comentário à Sputnik Turquia acrescentou que “a libertação do ponto estratégico mais importante na Síria – Aleppo, sob controle da oposição armada, mudou o curso da guerra na Síria, contribuiu para reforço da influência do exército sírio e aumento do espírito militar”.

    Ao mesmo tempo, de acordo com Hiddo, a libertação de Aleppo foi uma grande derrota para os Estados que apoiaram grupos armados no território sírio.

    "Estamos falando sobre a Arábia Saudita, o Qatar e, especialmente, a Turquia. A Turquia, apoiando os militantes com armas e dinheiro, pretendia juntar Aleppo, que, há muito tempo, fez parte do Império Otomano, ao seu território. No entanto, a limpeza da cidade da oposição destruiu os planos das autoridades turcas. O presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, não conseguiu atingir seus objetivos em relação a Aleppo", frisou Hiddo.

    Na tarde de segunda-feira, 12 de dezembro de 2016, as forças sírias anunciaram ter assumido o controle total de Aleppo, a maior cidade da Síria e palco de intensos combates entre forças governamentais e rebeldes. Aleppo ficava de fato dividida em duas partes, sendo a zona leste da cidade ocupada pelos militantes armados.

    Mais:

    Opinião: Turquia usará os terroristas removidos de Aleppo para combater os curdos
    Valas comuns de dezenas de sírios torturados descobertos em Aleppo
    Papa deseja feliz natal a vítimas em Aleppo
    Tags:
    oposição síria, libertação, Guerra Civil Síria, Sputnik Turquia, Arábia Saudita, Qatar, Turquia, Aleppo, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar