11:00 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Um membro das forças leais ao presidente da Síria, Bashar Assad, tenta erguer a bandeira nacional da Síria na mesquita de Umayyad, 13 de dezembro de 2016

    Últimos militantes vão deixar Aleppo por desespero, diz senador russo

    © REUTERS / Omar Sanadiki
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Crônicas de Aleppo libertada (64)
    4141
    Nos siga no

    O desespero dos militantes vai forçá-los a deixar Aleppo sem armas pesadas e equipamentos, mas até mesmo um acordo sobre a saída da cidade não os impede da combatividade, disse à RIA Novosti o presidente do comitê do Conselho da Federação de defesa e segurança, Viktor Ozerov.

    Na terça-feira (13), o Centro para a Reconciliação na Síria russo informou que as autoridades sírias tomaram o controle pleno de mais de 98% do território de Aleppo, sendo assim, a área total dos bairros da parte oriental da cidade, dominada por militantes, não excede três quilômetros quadrados.

    De acordo com uma fonte da RIA Novosti, até a manhã da quarta-feira (14), a transferência do último grupo de militantes de Aleppo oriental ainda não tinha sido iniciada. Na cidade, durante toda a madrugada e manhã, foi cumprido o regime de cessar-fogo. Em nenhum dos bairros de Aleppo foram ouvidos explosões e tiroteio, relata o correspondente da RIA Novosti.

    "O desespero dos militantes do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia], que estão em Aleppo, até que enfim fará com que atendam, provavelmente, o centésimo pedido da Rússia para que saiam da cidade. Eles vão sair sem armas pesadas e equipamentos", disse à RIA Novosti o senador russo.

    Ozerov sublinhou que, do ponto de vista humanitário, a proposta que garante a saída dos militantes é "absolutamente correta", sendo cumprida pela Rússia e Turquia. O chefe do Comitê relembrou que a Rússia vem propondo repetidamente para os militantes do Daesh a saída de Aleppo por um corredor e para os civis — por outro.

    Ao mesmo tempo, ele tem certeza que os militantes que deixaram Aleppo continuarão causando a tensão e perigo na região. "Não podemos encarar como problema resolvido, pois o exército sírio ainda terá que combater as sobras do Daesh", acredita Ozerov.

    Tema:
    Crônicas de Aleppo libertada (64)

    Mais:

    Lavrov: especialistas independentes não confirmam dados sobre atrocidades em Aleppo
    Ataque terrorista a Palmira visava 'minar a vitória de Aleppo', diz presidente
    Obama pede medidas para diminuir violência em Aleppo
    Fonte na Síria revela plano de retirada dos terroristas e seus familiares de Aleppo
    Governo de Aleppo: combates cessaram a partir da noite de terça
    Tags:
    militantes sírios, exército sírio, militantes, Guerra Civil Síria, Centro para a Reconciliação na Síria russo, RIA Novosti, Daesh, Conselho da Federação, Viktor Ozerov, Aleppo, Turquia, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar