02:41 27 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    21322
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa da Rússia comentou nesta terça-feira (1) as declarações do porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, John Kirby, sobre as diferenças fundamentais entre as operações militares nas cidades de Mossul, no Iraque, e Aleppo, na Síria, ambras ocupadas pelo grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico).

    "Diferenças drásticas entre a situação na cidade síria de Aleppo e a ofensiva contra a cidade iraquiana de Mossul realmente existem. E nós estamos dispostos a expô-las de forma concreta ao almirante John Kirby" – disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo major-general Igor Konashenkov.

    Ele destacou que, diferente de Aleppo, onde a Força Aérea da Rússia cessou por completo suas missões há mais de duas semanas, Mossul continua sendo diariamente atacada pelos bombardeiros estratégicos B-52H e pelos aviões F/A-18 e Rafale-M a partir dos porta-aviões Dwight Eisenhower e Charles de Gaulle. Apenas nas últimas 24 horas, segundo ele, aeronaves da coalizão internacional liderada pelos EUA realizaram 25 voos e 21 ataques contra Mossul e seus arredores.

    Além disso, de acordo com Konashenkov, em Aleppo, a Rússia e as autoridades sírias organizaram seis corredores humanitários para permitir a saída da população civil, que gostaria de deixar a cidade, mas é impedida por ações e ameaças por parte de extremistas.

    "Em Mossul, nós soubemos sobre uma "ofensiva" contra bairros residenciais por vir, com prováveis consequências drásticas e vítimas entre a população civil" – disse Koonashenkov, destacando que, até agora, ninguém falou em corredores humanitários, como se essa enorme cidade de mais de um milhão de habitantes estivesse povoada "apenas por terroristas".

    Ainda segundo o porta-voz russo, em Aleppo, continuam funcionando dois outros corredores, que permitem a saída de combatentes

    e seus armamentos para outras regiões da Síria. Enquanto que, em Mossul, a coalizão fala em cerco fechado à cidade.

    Por fim, nas palavras de Konashenkov, Aleppo conta com a presença de jornalistas, representantes da ONU, do Crescente Vermelho e de outras organizações internacionais. "Enquanto que, em Mossul, por circunstâncias estranhas, não há nem jornalistas, nem ativistas, nem voluntários de organizações internacionais. Não tem ninguém" – explicou.

    Ele destacou, que, em Mossul, as mídias americanas e europeias podem se contentar somente com "relatórios sobre êxitos mirabolantes da coalizão, não confirmados por imagens reais, e da grande vitória por vir sobre os terroristas".

    "E, depois disso, John Kirby, insultado, declara que, diferente de Aleppo, a operação em mossul está sendo realizada em estrita conformidade com o Direito Humanitário Internacional?" – conclui Konashenkov.

    Tags:
    diferenças, Daesh, Estado Islâmico, John Kirby, Igor Konashenkov, Moscou, Aleppo, Mossul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar