06:39 04 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    12514
    Nos siga no

    Bolsonaro, a cada dia que passa, deixa mais claro seu desejo pelo fim da democracia no quinto país mais populoso do mundo, segundo o colunista David Miranda do jornal The Guardian.

    Na realidade, Bolsonaro poderia tornar esse desejo em realidade, uma vez que o país continua enfrentando desafios para democracia e ordem cívica, elevando os riscos para o atual presidente.

    As tensões no Brasil estão aumentando e, na semana passada, foi adicionado mais um fator contribuinte para que o país possa entrar em um estado de ebulição: a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Ex-presidente Lula deixando a prisão em Curitiba
    © REUTERS / Rodolfo Buhrer
    Ex-presidente Lula deixando a prisão em Curitiba

    Lula era considerado o maior prêmio obtido pelos aliados de Bolsonaro e pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que condenou o ex-presidente por corrupção, justamente quando o ex-presidente era considerado favorito para vencer as eleições presidenciais.

    Com a liberação de Lula, Bolsonaro e sua "trupe" voltam a pedir a prisão preventiva do ex-presidente sob a acusação de estar incitando a violência no país, contra o atual governo. Entretanto, como isso não aconteceu, militares e membros do movimento Bolsonaro expressaram o desejo pelo retorno da lei da era da ditadura, o Ato Institucional Número 5 (AI-5), observou o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) no jornal The Guardian.

    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participa da 11ª Cúpula do BRICS
    © REUTERS / Pavel Golovkin
    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participa da 11ª Cúpula do BRICS

    O AI-5 foi criado pelo regime militar em 1968, autorizando a ditadura a encerrar o congresso e ignorar as ordens judiciais, além de suspender os direitos constitucionais em nome da ordem.

    "Se a esquerda radicalizar, precisaremos responder, e essa resposta poderá ser através de um novo AI-5", afirmou Eduardo Bolsonaro em tweet.

    A declaração expôs ainda mais a ligação do clã Bolsonaro com as milícias, que inclusive poderia estar envolvido no caso do assassinato de Marielle, segundo a TV Globo.

    A trupe de Bolsonaro estaria revelando a verdadeira intenção do presidente brasileiro, de provocar a desordem e espalhar a violência pelo país, para então justificar a restauração das medidas repressivas do regime militar.

    Vale destacar que, por diversas vezes, Bolsonaro deixou claro que a ditadura militar estaria acima da democracia do país. Contudo, Bolsonaro não pode simplesmente passar por cima da democracia, e por isso, estaria procurando pretextos que justifiquem o retorno da ditadura, da mesma forma que ocorreu durante o golpe militar de 1964.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    MST vive 'espera' na era Bolsonaro: 'Não é o momento de confrontar o proprietário'
    'Pauta antiambiental' de Bolsonaro contribui para desmatamento recorde, diz especialista
    'Fake news': Bolsonaro comenta reportagem sobre falta de dinheiro para 13º do Bolsa Família
    Tags:
    Lula, democracia, golpe de Estado, golpe militar, ditadura militar, ditadura, Brasil, Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar