00:22 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados da OTAN no tanque alemão Leopard 2 durante exercício da aliança na Lituânia

    Como seria conflito militar Rússia versus OTAN na região do Báltico? Especialista responde

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Análise
    URL curta
    18483
    Nos siga no

    Richard Hooker, especialista da Fundação Jamestown, Estados Unidos, analisou um cenário hipotético de guerra entre a Rússia e a OTAN no Báltico, apontando seu possível desenvolvimento.

    Segundo Hooker, o objetivo primordial da Rússia em um conflito no Báltico seria isolar a Lituânia, Letônia e Estônia e manter a segurança de sua região mais ocidental, Kaliningrado, bem como de São Petersburgo.

    É válido lembrar que Kaliningrado está desconectada do resto do território da Rússia, ao passo que faz fronteira com a Lituânia e a Polônia, países membros da OTAN.

    Desta forma, a região também seria de suma importância para os EUA, segundo Hooker.

    "Como líder da OTAN, Washington deveria ver a defesa do Báltico como uma prioridade crítica", escreveu Hooker em texto publicado pela Jamestown.

    Equilíbrio de forças

    Comparando o equipamento militar (meios marítimos e veículos terrestres) Hooker aponta uma grande inferioridade no número de blindados por parte dos países bálticos, Lituânica, Letônia e Estônica, em comparação com a Rússia.

    Para ele, essa inferioridade só poderia ser suprida pelo maior emprego das tropas da OTAN na região.

    Enquanto isto, Hooker afirma que numericamente a OTAN tem mais aeronaves que a Rússia. Porém, o especialista não despreza o poder dos armamentos de defesa antiaérea da Rússia, o que ameaçaria o trabalho dos pilotos da OTAN.

    Além disso, o especialista ressalta a grande mobilidade das forças russas, em particular durante um hipotético ataque aos países do Báltico.

    "A maior parte dos especialistas conclui que estas forças [da Rússia] são grandes o suficiente para superar as dos países bálticos em questão de dias", afirmou Hooker.

    Defendendo Kaliningrado

    O especialista também acredita que a maior pressão das forças da OTAN seria sobre a região de Kaliningrado. Ainda segundo Hooker, a Rússia perderia a região devido ao grande número de tropas da aliança.

    Em setembro passado, o comandante da Força Aérea dos Estados Unidos na Europa, Jeff Harrigian, disse que seu país tem um plano para destruir os sistemas de defesa antiaérea russa em Kaliningrado.

    Veículos blindados russos durante manobra da Frota do Báltico na reigão russa de Kaliningrado
    © Sputnik / Igor Zarembo
    Veículos blindados russos durante manobra da Frota do Báltico na reigão russa de Kaliningrado

    Em resposta, o governador da região, Anton Alikhanov, categorizou a fala do general como prova de seu deficiente conhecimento da história.

    "Muitas pessoas, que pouco estudaram história, tiveram planos em relação ao nosso país. No entanto, a vida mostrou que, além de jogar cartas e fazer planos, deve-se ler os livros que mostram como estes planos terminaram para seus autores. Sugiro a todos os generais dos EUA que leiam livros sobre a Rússia e se lembrem que, por melhor que seja o plano, sempre haverá o povo russo e a experiência histórica", publicou a fala de Alikhanov o portal RBK.

    Guerra naval

    Richard Hooker também afirma que, em números, a presença naval da OTAN seria superior à russa no Báltico, no entanto, devido a diversos problemas, o efetivo naval da aliança se defrontaria com os mísseis e minas da Rússia.

    Navios da Noruega, Bélgica, Holanda e Estônia em destacamento da OTAN no Báltico
    © AP Photo / Gero Breloer
    Navios da Noruega, Bélgica, Holanda e Estônia em destacamento da OTAN no Báltico

    Além disso, Moscou tem desenvolvido armamentos cada vez mais avançados para a guerra naval, o que preocupa as autoridades militares ocidentais.

    Ademais, o autor do texto aponta perigosas falhas na estrutura de defesa dos países bálticos, assim como a pequena interação entre suas forças militares.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Aeronaves da Força Aérea britânica escoltam 2 caças russos Su-30 sobre mar Báltico
    OTAN comenta memorando da Rússia e Turquia sobre Síria
    Tropas da OTAN vão usar bússolas e mapas devido à vulnerabilidade do GPS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar