09:51 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssil Standard Missile (SM-3) pelo USS Decatur (DDG 73), um destróier da classe Arleigh Burke equipado com o sistema de combate Aegis e operando no Pacífico, em 22 de junho de 2007

    Por que Washington decide abandonar histórico tratado de desarmamento com Moscou?

    © AFP 2019 / Marinha dos EUA
    Análise
    URL curta
    7103
    Nos siga no

    Os EUA planejam testar dois novos mísseis proibidos pelo Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), informou a mídia. Um analista militar russo indica as razões por que os EUA decidiram abandonar o histórico tratado e que medidas a Rússia poderá tomar em resposta à decisão americana.

    No início desta semana, o Pentágono anunciou sua decisão de retomar a fabricação de componentes para mísseis proibidos pelo Tratado INF, do qual os EUA anunciaram a decisão de se retirar ainda este ano. 

    A mídia, por sua vez, informou que se trata de dois sistemas de mísseis: o novo míssil de cruzeiro com um alcance de 1.000 quilômetros, enquanto o míssil balístico terá o alcance de 3.000 a 4.000 quilômetros.

    O analista político Stanislav Byshok, da Organização Internacional de Monitoramento CIS-EMO, comentou esse assunto em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    "Os EUA têm motivos para abandonar o Tratado INF, querem ter as mãos livres para uma maior modernização militar", declarou o analista, sublinhando que Washington usa a alegada violação do tratado pela Rússia como pretexto.

    "Não é uma motivação nova: sempre que alguns acordos internacionais são violados, é a parte que viola o acordo que se proclama apoiante mais coerente do documento", declarou Byshok. 

    Segundo o analista, a Rússia será forçada a reagir às ações dos EUA.

    "Acredito que a saída dos EUA do tratado vai levar a Rússia a modernizar mais ativamente seu armamento", explicando que, quando o país tão grande como os EUA começa a fortalecer seu arsenal militar, os outros países não podem deixar isso sem resposta.

    Ao longo dos últimos anos, a Rússia e os EUA se têm acusado mutuamente da suposta violação dos termos do Tratado INF assinado em 1987 com a então União Soviética, que não tem data de expiração e proíbe as partes de terem mísseis balísticos terrestres ou mísseis de cruzeiro com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros.

    Desde 2 de fevereiro, os EUA suspenderam suas obrigações quanto ao INF. O presidente russo Vladimir Putin, por sua vez, assinou o decreto sobre a suspensão do Tratado INF pela Rússia em 4 de março de 2019.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Putin assina decreto sobre suspensão do Tratado INF pela Rússia
    Saída dos EUA do Tratado INF pode abrir 'Caixa de Pandora', avisa especialista
    EUA violaram Tratado INF por anos, mas Rússia propõe manutenção do acordo, diz ministério
    Tags:
    Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar