19:12 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    844
    Nos siga no

    A China quer substituir os Estados Unidos na qualidade de potência global dominante e está buscando uma guerra fria contra Washington, afirmou o vice-diretor assistente da CIA, Michael Collins, durante o Aspen Security Forum.

    "Os chineses buscam fundamentalmente substituir os Estados Unidos como potência líder no mundo", disse Collins na sexta-feira. "O que eles estão travando contra nós é fundamentalmente uma Guerra Fria."

    Collins explicou que a China está usando todas as vias de poder, incluindo as ilícitas, para minar a posição dos Estados Unidos, seu principal rival.

    Uma China em ascensão deseja que todos os países do mundo se alinhem a ela, e não aos Estados Unidos, quando se trata de importantes decisões políticas, disse Collins.

    Collins enfatizou que o governo chinês sob a liderança de Xi Jinping tem aumentado suas ambições em todo o mundo para competir com os Estados Unidos e busca reduzir a influência de Washington em outros países.

    Além disso, Collins expressou preocupação com a influência da mídia na China, a pressão econômica e também a interferência política sobre os americanos.

    No entanto, Collins apontou que a China não deseja se envolver em uma guerra de verdade com os Estados Unidos.

    Mais cedo na sexta-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que estava pronto para impor tarifas sobre todas as importações da China.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    China volta a desvalorizar yuan em meio à disputa comercial com EUA
    China declara que BRICS reforçará cooperação frente ao conflito comercial com EUA
    EUA adotarão sanções contra Rússia, China e Europa por importação de petróleo iraniano
    China: guerra comercial é de total responsabilidade dos EUA
    China se diz 'chocada' com novas tarifas dos EUA e promete resposta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar