14:55 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al Tanf, no sul da Síria

    EUA usam 40 bases militares para apoiar terroristas na Síria, afirma especialista

    © AP Photo / Hammurabi's Justice News
    Análise
    URL curta
    372

    Na Síria, os EUA possuem 19 bases militares onde treinam combatentes, enquanto seu abastecimento provém de outras 22 bases estadunidenses que se encontram em países vizinhos, assegura o cientista político russo Vladimir Kozhin.

    "O Pentágono instalou na Síria 19 bases militares e pontos de apoio, e também outras 22 bases nos países limítrofes da Síria para fornecer armas, munições, combustíveis e provisões aos combatentes das organizações terroristas", afirmou o assistente do presidente para assuntos de cooperação técnico-militar, Vladimir Kozhin.

    Para ilustrar sua declaração, o especialista deu um exemplo — em sua opinião, uma de tais bases onde os instrutores e forças especiais norte-americanos treinam os terroristas encontra-se no sul do país, na cidade de Al-Tanf. O espaço aéreo sobre a cidade foi declarado zona fechada para aviação. No entanto, é uma decisão unilateral do Pentágono que não recebeu a aprovação oficial de Damasco, destaca o analista.

    De acordo com Kozhin, o apoio direto que Washington presta a grupos armados ilegais no território sírio contradiz não só a Carta da ONU, mas também não corresponde aos acordos sobre as zonas de desescalada. Ademais, ele opina que os EUA apoiam os combatentes para preservar sua influência sobre os processos internos na Síria.

    Os EUA tentam preservar meios de pressão sobre a situação política e econômica na Síria através de grupos terroristas.

    Vale destacar que nos últimos sete anos, o objetivo principal dos EUA no país árabe não tem mudado e inclui o congelamento da regulação do processo político. Além disso, prevê um derrube do presidente legítimo sírio para colocar um seu fantoche no poder, sublinhou.

    Ao falar de grupos terroristas, o especialista indicou que o Daesh e a Frente al-Nusra (organizações terroristas proibidas em vários países, incluindo na Rússia) incitam as organizações da oposição moderada síria umas contra outras e impedem o estabelecimento da paz entre a oposição e as tropas governamentais na zona de escalada no sudeste da Síria:

    "A peculiaridade das relações entre grupos armados ilegais no território sírio é que eles constantemente lutam entre si pela partilha de esferas de influência dentro da zona de desescalada, o que se converte em confrontos diretos."

    "É conhecido que os líderes do Exército Livre da Síria e da Ahrar al-Sham estão prontos, sob certas condições, para firmar a paz e transferir seu território para o controle do governo legítimo sírio", ressaltou.

    No entanto, destaca, "os líderes da Frente al-Nusra e do Daesh, que no total controlam mais de metade do território, não podem firmar nenhum acordo e continuam exercendo pressão sobre a oposição moderada, frustrando assim o processo de reconciliação".

    Mais:

    Marinha da Rússia envia 2 corvetas equipadas com mísseis Kalibr à Síria (FOTOS)
    EUA negam participação em bombardeio contra o exército da Síria
    Analista: EUA tentam distrair a atenção de seus fracassos na Síria
    Itália desloca forças para base norte-americana na Síria, diz mídia
    EUA ameaçam responder a possível ofensiva de Damasco no sudoeste da Síria
    Tags:
    oposição síria, organizações terroristas, bases militares, armas, apoio, Ahrar al-Sham, Daesh, Exército Livre da Síria, Frente al-Nusra, Vladimir Kozhin, Al-Tanf, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik