18:30 21 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Navio ligeiro de mísseis Grad Sviyazhinsk dispara míssil Kalibr

    Opinião: com novos armamentos, Rússia passa a dominar sobre EUA em qualidade

    © Sputnik / Denis Abramov
    Análise
    URL curta
    9212

    Os Estados Unidos continuam preocupados com o poder militar russo, afirmou a general da Força Aérea dos EUA. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, Ildus Yarullin, especialista em ciências políticas, comentou a situação.

    Washington está preocupada com as capacidades militares russas, em particular com os novos mísseis de cruzeiro desenvolvidos por engenheiros russos para a Força Aeroespacial do país, afirmou a general da Força Aérea dos EUA, Lori Robinson.

    Ela revelou que os russos "desenvolveram novos mísseis de cruzeiro capazes de atingir alvos a uma distância mais longa do que observamos antes".

    Robinson sublinhou em seu discurso, publicado no site do Comitê de Serviços Armados, que até o momento as intensões da Rússia não são claras para os militares estadunidenses.

    Ela também indicou que a Rússia continua aperfeiçoando os bombardeiros estratégicos e submarinos. Por esta razão, a Marinha russa modernizada será capaz de ameaçar os EUA por muitos anos.

    Portanto, a Rússia "com seu conjunto completo de meios de transporte e sistemas de armas capazes de atingir alvos em todo o território dos EUA e Canadá, continua sendo a única ameaça existencial ao espaço aéreo de ambos os países", indicou.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, Ildus Yarulin, especialista em ciências políticas, opinou sobre o motivo dessas declarações por parte dos EUA.

    "O mais importante é o problema da aprovação do orçamento militar. Isto é, ao gerar barulho em torno de nossas armas, [militares norte-americanos] argumentam perante o Congresso e o Senado a necessidade do aumento de gastos militares para a Rússia não superar [os EUA]. Trata-se de uma tentativa de […] envolver-nos em uma corrida armamentista", explicou.

    "Contudo, de acordo com o presidente russo, Vladimir Putin, nós vamos apostar na qualidade em vez de quantidade. O surgimento de novas armas e os testes bem-sucedidos delas evidenciam que nós começamos a dominar em termos de qualidade. Sendo assim, por um lado, todas essas declarações são especulações para aumento do orçamento, mas por outro lado [norte-americanos] passam a temer nossas novas armas", ressaltou Ildus Yarullin.

    Mais:

    EUA acusam Rússia de orquestrar ciberataque contra a Ucrânia
    China espera que EUA deixem de classificar as relações internacionais como confronto
    Analista explica como EUA 'compram' aliados na Síria
    Tags:
    potencial, concorrência, armamentos, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik