21:11 01 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    12261
    Nos siga no

    O Departamento de Estado dos EUA expressou grande preocupação por causa da intercepção por um caça russo de uma aeronave de reconhecimento sobre o mar Negro e apelou a Moscou para parar tais ações a fim de evitar acidentes e colisões perigosos.

    Antes, o Ministério da Defesa da Rússia comunicou que um avião de reconhecimento radioeletrônico ЕР-3Е Aries II da Marinha dos EUA fora escoltado por um Su-27 sobre as águas neutras do mar Negro. A Marinha dos EUA se referiu à intercepção como insegura.

    A representante do Departamento de Estado, Heather Nauert, declarou que o Su-27 russo se aproximou do avião norte-americano a uma distância insegura no espaço aéreo internacional. Segundo ela, "a aeronave norte-americana atuava conforme a lei internacional, enquanto a parte russa violou gravemente os acordos existentes e normas internacionais, neste caso, o Acordo de 1972 de Prevenção de Incidentes Sobre o Alto Mar (INCSEA em inglês)."

    O major-general e piloto emérito da Rússia Vladimir Popov, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik explicou por que motivo o avião russo escoltou a aeronave norte-americana.

    "Em primeiro, é importante saber a que distância das nossas fronteiras e em que circunstâncias estava o avião de reconhecimento. Em segundo lugar, normalmente os nossos aviões são bons na identificação e determinação das capacidades das aeronaves. Pode ter acontecido algo imprevisto e o avião [norte-americano] tenha perdido a orientação no espaço e esteja se aproximando do território de outro país para se orientar."

    Neste caso, o avião russo tem dois objetivos: identificar e ajudar caso seja necessário. Por isso, não se pode falar diretamente de "intercepção". Os aviões de combate russos só fazem intercepções se uma aeronave viola a fronteira e entra no território da Rússia. "Nesse caso, podem ser usadas armas em relação ao avião infrator".

    "Aqui não houve ameaça de uso de armas", disse Popov. "Somente efetuaram a identificação do avião." Ele concluiu dizendo que, na prática internacional, tais procedimentos são aplicados por qualquer país que cuida da sua segurança.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Primeiro caça russo Su-57 de 5 ª geração será colocado em serviço 'muito em breve'
    Força Aérea dos EUA ensaia combates aéreos contra aviões russos
    Por que aviões furtivos dos EUA devem evitar combates com Su-35 russos a todo o custo?
    Tags:
    intercepção, avião, caça, Su-27, Heather Nauert, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar