23:27 03 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    371
    Nos siga no

    Estados Unidos veem espaço como plataforma para ações militares, declarou a secretária da Força Aérea norte-americana, Heather Wilson. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o analista militar, Andrei Golovatyuk, comentou a declaração da secretária.

    Os EUA veem o espaço como plataforma para ações militares. Eis o que comunicou a secretária da Força Aérea norte-americana, Heather Wilson, durante briefing no Pentágono.

    "Passamos a examinar o espaço como plataforma para ações militares", disse a secretária.

    Além disso, segundo Wilson, em 2018, o Pentágono planeja aumentar investimentos na "modernização economicamente vantajosa" das construções cósmicas em 20%.

    "Avançamos na modernização da esfera espacial para aumento de nossa potência em todas as áreas", disse a secretária.

    Ela lembrou que, na semana passada, Washington anunciou sobre o lançamento do programa Space Enterprise Consortium, onde é planejado investimento de 100 milhões de dólares (R$ 329 milhões).

    "Através deste programa, tentaremos experimentar mais e nos dedicar à modelagem espacial para ampliar ativamente nossas oportunidades", notou Wilson.

    O chefe do Estado-Maior da Força Aérea norte-americana, general David Goldfein, por sua vez, declarou que o povo espera supremacia espacial dos militares norte-americanos para "liberdade de ataque e de ações".

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o membro da organização russa Oficiais da Rússia, tenente reservista Andrei Golovatyuk, ressaltou que o espaço vem se transformando cada vez mais em um campo de ações militares.

    "Espaço como campo da batalha é, sem dúvida, novo fenômeno. Pouco a pouco, forças aéreas ocupam primeiro plano, e o espaço se torna um potencial campo das ações militares. Três países – EUA, Rússia e China – tentam preservar liderança nesta esfera. Quem dominar o espaço será o dono da iniciativa, que, mais uma vez foi comprovada na Síria, onde a Força Aeroespacial russa atuou muito bem", opina Andrei Golovatyuk.

    De acordo com ele, a Rússia possui com o que contrapor os programas militares espaciais dos EUA, inclusive programa Space Enterprise Consortium.

    "Este programa implica o desenvolvimento de grupos cósmicos, cheios de satélites, até mesmo para missões militares. Mas, claro que não estamos parados, nossa Força Aérea continua se desenvolvendo, possuímos contrapeso", disse Andrei Golovatyuk.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    'Rendez-vous' espacial: Vênus e Júpiter brilharão juntos na madrugada de 13 de novembro
    Demasiado arriscado: NASA desiste de enviar tripulantes na ambiciosa missão espacial EM-1
    Em busca de extraterrestres: multimilionário russo planeja enviar nave a lua de Saturno
    Tags:
    era espacial, forças aeroespaciais, despesas, programa, Pentágono, Heather Wilson, Espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar