01:26 13 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    271
    Nos siga no

    A OTAN acabará entrando em colapso, já que sua missão principal não é mais relevante no contexto internacional de hoje, disse o vice-primeiro ministro e ex-representante da Rússia junto à OTAN, Dmitry Rogozin, nesta sexta-feira.

    "A OTAN, eventualmente, vai desmoronar, pois não possui um objetivo. A OTAN começou a decair quando eles passaram a enfrentar dificuldades com a criação da imagem de um inimigo. Hoje a Rússia é esse inimigo. Isso tinha diminuído um pouco na década de 1990, mas agora aumentou novamente. No entanto, as sanções e toda a política atual terá um fim", disse Rogozin que participa do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF).

    O alto funcionário do governo acrescentou que sua posição é compartilhada por políticos de todo o mundo.

    "Percebemos isso durante os nossos contatos com os principais políticos e economistas dos países ocidentais. A situação política e econômica evoluirá de tal forma que a OTAN, eventualmente, perderá o motivo de sua existência", observou Rogozin.

    A OTAN foi criada durante a Guerra Fria como uma medida de contensão da União Soviética (URSS). Depois da dissolução da URSS, em 1991, a aliança enfrentou dificuldades para permanecer em vigor, já que agora não há mais ameaças reais para a Europa.

    A Rússia e a OTAN começaram a cooperar em 1994, mas as suas relações se deterioraram em 2014, à luz da crise ucraniana. A aliança acusou Moscou de interferir no conflito e decidiu aumentar sua presença militar na Europa Oriental. A OTAN também suspendeu toda a cooperação militar prática com a Rússia, mas manteve as linhas de comunicação militares abertas.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Especialista: Armata neutraliza facilmente sistemas antitanque da OTAN
    Para cientista político, Trump ainda não sabe para que serve a OTAN
    Embaixador russo na OTAN diz que reforço da Aliança na Europa 'é muito perigoso'
    Assim foi a reação da Casa Branca ao 'primeiro-marido' da OTAN
    Análise: OTAN envia mensagem política 'vazia' ao unir-se à coalizão de combate ao Daesh
    Tags:
    SPIEF 2017, OTAN, Dmitry Rogozin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar