02:31 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Uma mulher aplaude o seu namorado idoso que participa no concurso Homem mais bonito idoso em São Paulo. 6 de agosto, 2015
    © AP Photo / Andre Penner

    Opinião: Igualdade significa a conquista de maior poder para a mulher

    Análise
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    As comemorações do Dia Internacional da Mulher, 8 de março, ganharam relevância neste ano de 2016 com um amplo debate em torno da igualdade de gêneros.

    Para a advogada Daniela Gusmão, presidente da Comissão OAB/Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro, a questão dos direitos da mulher deve ser analisada sob múltiplos aspectos, por uma série de questões que vão desde a posição da mulher na sociedade, passando pela igualdade de oportunidades com os homens, os diferentes padrões salariais entre homens e mulheres, a participação da mulher na sociedade e a projeção da mulher na política, entre outras.

    Daniela Gusmão explicou seu posicionamento:

    “Todas as questões referentes a direitos femininos decorrem do empoderamento da mulher. Até mesmo a questão da violência doméstica reflete quem tem maior ou menor poder. O empoderamento da mulher diminui a violência doméstica e permite à vítima escolher se quer permanecer nesta vida de violência ou se deseja partir para uma nova experiência que lhe permita, até, viver sozinha. Quando falamos de igualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, estamos também falando da redução da violência do homem contra a mulher. Enfim, precisamos de maior participação feminina na vida societária e na política para que diminua a violência contra a mulher.”

    Neste 8 de março a Ordem dos Advogados do Brasil aderiu formalmente à campanha mundial lançada pela ONU sob a denominação He For She (“Ele para Ela”). A presidente da Comissão OAB/Mulher comenta:

    “Este é um trabalho de extrema conscientização em que o homem vai entender a necessidade de respeitar a mulher, e que a luta pela igualdade de gêneros deve ser do interesse de todos. Os homens devem entender que precisam se unir às mulheres porque todos são seres humanos e todos merecem respeito, direitos e oportunidades.”

    Segundo Daniela Gusmão, a Ordem dos Advogados do Brasil continuará se empenhando pelo fim das desigualdades entre homens e mulheres, e para que estas tenham seus direitos cada vez mais afirmados e reconhecidos. Além disso, o Conselho Federal da OAB instituiu 2016 como Ano da Mulher Advogada.

    Homologada pela ONU em 1975, a ideia de comemorar o Dia Internacional da Mulher surgiu no final do século XIX, mas os fatos ocorridos no século XX consolidaram a sua celebração. Um destes fatos, considerado como o mais simbólico, aconteceu em 25 de março de 1911, quando 149 pessoas, a maioria mulheres, morreram no incêndio da fábrica Triangle Shirtwaist, em Nova York – um acidente que revelou as péssimas condições de trabalho que a fábrica proporcionava aos seus empregados. 

    Em 1910, o congresso da Internacional Socialista já proclamara o Dia Internacional da Mulher como forma de reivindicar o voto feminino, além de permitir à mulher acesso à educação e outros direitos fundamentais. A conferência não se decidiu por um dia definido, mas em países como Alemanha, Áustria, Dinamarca e Suíça a data passou a ser celebrada em 19 de março.

    8 de março
    © Foto / Vitaly Podvitskiy
    Em fevereiro de 1913, as mulheres russas celebraram o Dia Internacional da Mulher, que em outros países começava a ser fixado em 8 de março. Mas, em 1917, como reação à morte de mais de dois milhões de militares na Primeira Guerra Mundial, as russas convocaram uma greve para o último domingo de fevereiro. Os protestos e manifestações (que tiveram início em 23 de fevereiro pelo calendário juliano, correspondente a 8 de março no calendário gregoriano, adotado em outros países) levaram a uma mobilização geral que provocou a abdicação do czar e a nomeação de um governo provisório que concedeu às mulheres o direito ao voto.

    Com a iniciativa se espalhando pelo mundo, tornou-se consenso estabelecer a data de 8 de março como comemorativa do Dia Internacional da Mulher.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tags:
    igualdade de gênero, mulher, Dia Internacional da Mulher, Comissão OAB/Mulher, OAB, Daniela Gusmão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar