14:24 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes protestam contra a imposição de medidas de austeridade

    Deputado grego: referendo é a única decisão viável frente às condições dos credores

    © REUTERS / Neil Hall
    Análise
    URL curta
    0 141
    Nos siga no

    O deputado do partido no poder Syriza, Sia Anagnostopoulou, comentou a atual situação da dívida grega e a decisão do governo em manter o referendo programado para a próxima segunda-feria.

    Nas suas palavras, "a realização do referendo na Grécia é a única decisão correta frente a uma posição dos credores claramente distante da vontade de compromisso".

    "A recusa dos credores em aceitar a proposta da Grécia demonstra o fato de o problema não ser apenas o dinheiro. Com toda essa pressão a UE quer colocar a Grécia de joelhos, quer impor um pacote inaceitável de reformas austeras. Nos esperamos que o povo responda "não" à pergunta: "Deveria a Grécia aceitar o projeto de acordo proposto pela Comissão Europeia, pelo Banco Central Europeu e pelo FMI em 25 de junho de 2015?". No entanto, em caso de uma resposta positiva, o governo grego e o Syriza tomarão esta decisão, demonstrando respeito à vontade do povo grego. Quero lembrar que, caso o humilhante projeto de acordo seja aprovado, o Primeiro-Ministro Alexis Tsipras renunciará ao cargo" – disse Anagnostopoulou.

    Falando na questão da possível saída da Grécia da zona do euro, o deputado destacou que este nunca foi um objetivo do Syriza.

    "Nos sempre acreditamos e seguimos acreditando que a zona do euro pode se tornar um sistema mais democrático. Nós não lutamos para sair da zona do euro, mas para torná-la democrática. No entanto, caso o cenário da saída da Grécia se torne real, as consequências desse passo irão repercutir não apenas sobre a Grécia, mas o efeito dominó também chegará a outros países da UE. Atualmente, em Atenas e em um série de cidade no sul do país estão acontecendo protestos contra a política de austeridade, na qual a UE insiste. A população da Grécia está tomada pela esperança de uma mudança para o melhor. A decisão de promover o referendo foi recebida com aprovação pela maioria da população do país. Sim, todos os bancos estão fechados e isso gera certa pressão psicológica sobre as pessoas. Mas, por outro lado, as camadas pobres da população já não tinham dinheiro em banco, e nem tampouco em espécie. Portanto, o fechamento dos bancos não nos assusta".

    A opinião do especialista pode não necessariamente coincidir com a da redação da Sputnik

    Mais:

    FMI confirma o não recebimento do pagamento de dívida da Grécia
    Grécia propõe novo acordo de financiamento
    Jean-Claude Juncker vira cabo eleitoral do 'sim' em referendo na Grécia
    Tags:
    austeridade, euro, Zona do Euro, referendo, Sia Anagnostopoulou, Grécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar