13:39 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Sede do Federal Reserve, em Washington, D.C.

    “Recuperação espetacular” da economia dos EUA vira pó em semanas

    © flickr.com/ ctj71081
    Análise
    URL curta
    1362

    Em entrevista exclusiva a Sputnik, Antônio Gelis, professor de Estratégia Internacional da FGV – Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo, questionou: “Quem ainda acreditará quando ‘The Economist’ e ‘Wall Street Journal’ anunciarem novamente o fim da ‘recessão’?”

    O especialista lembrou que “em dezembro de 2014 os jornais do mundo inteiro publicaram a notícia de que a economia norte-americana vinha crescendo a taxas anualizadas de 4%” e que alguns articulistas chegavam a prever 5%. “Comentaristas eufóricos explicavam que finalmente a economia dos Estados Unidos tinha saído da crise, e que seu crescimento seria saudável e sustentado”, acrescentou o professor. “Previa-se um 2015 cor-de-rosa para a economia norte-americana”. 

    Antônio Gelis comentou que, como sempre, “alguns indicadores econômicos positivos isolados são analisados fora de seu contexto maior, análises eufóricas são publicadas na mídia e meses depois, quando a ‘recuperação’ se mostra inexistente, todos se esquecem do assunto”. 

    Na entrevista, o crítico se referiu a um comentário feito no fim de março por Gavyn Davies, no “Financial Times”, de que “as expectativas otimistas do Banco Central dos EUA (o  Fed – Federal Reserve) para 2015 já estavam sendo desmentidas pelos dados reais”. 

    Na conclusão da entrevista, o Professor Antônio Gelis perguntou se alguém ainda vai acreditar nos jornalões de Nova York e Londres quando anunciarem novamente o fim da “recessão”. E sentenciou: “A verdade, dura e incontornável, é que não há recuperação econômica real à vista, seja nos EUA, na Europa ou no Japão”.

    Mais:

    Especialista acredita em favoritismo de Hillary Clinton, mas não em mudanças nos EUA
    Tags:
    economia, Federal Reserve (Fed), Banco Central dos EUA, Financial Times, Gavyn Davies, Antônio Gelis, Londres, Nova York, Europa, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar